sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Governo grego rejeita intervenção do FMI em novo resgate

EM ATUALIZAÇÃO

O Governo grego assumiu este domingo que terá de aceitar grande parte das medidas apresentadas pelo Eurogrupo para conseguir um terceiro resgate financeiro, mas recusa questões chave como a participação do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, e o ministro das Finanças grego, Euclid Tsakalotos.

A diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, e o ministro das Finanças grego, Euclid Tsakalotos.

Virginia Mayo / AP

"Há várias questões importantes em cima da mesa. Acreditamos que, afinal, trata-se de tentar chegar a compromissos, com vontade política", disseram à agência noticiosa EFE fontes do Executivo grego não identificadas. 

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, defendeu, perante os seus homólogos, durante a cimeira, que flexibilizem a posição apresentada no encontro de ministros da Economia e Finanças da zona euro. 

"Resposta rápida ao problema da banca"

As mesmas fontes indicam que Tsipras salientou aos outros membros do Eurogrupo a urgência de tomar hoje uma decisão firme que sirva de base ao Banco Central Europeu (BCE) para aumentar segunda-feira as linhas de liquidez de emergência de que se alimentam os bancos gregos.

Os bancos gregos, disse o primeiro-ministro, encontram-se em situação real "muito precária".

Para o Governo da Grécia, os principais pontos de desacordo são a participação do FMI num futuro programa, que estima a necessidade de financiamento em entre 82.000 e 86.000 milhões de euros.

  • Eurogrupo admite saída temporária da Grécia do Euro
    2:23

    Crise na Grécia

    O Eurogrupo admite que a Grécia saia temporariamente do Euro, se não for encontrada em breve uma solução. Os ministros das Finanças elaboraram um documento, onde propõem que a Grécia aprove até quarta-feira uma série de medidas de austeridade, e só depois aceitam falar num terceiro resgate ao país.

  • Eurogrupo elaborou deveres para eventual terceiro resgate da Grécia
    3:13

    Crise na Grécia

    Ainda não há acordo quanto ao futuro da Grécia. A reunião deste domingo do Eurogrupo foi inconclusiva, mas elaborou a lista de deveres que têm de ser cumpridos por Atenas se quiser um terceiro resgate. Já o encontro entre chefes de Estado e de Governo foi interrompido para negociações bilaterias de Alexis Tsipras com Angela Merkel e François Hollande.

  • Restaurantes gregos enfrentam rutura de "stocks"
    2:36

    Crise na Grécia

    A proposta de aumento do IVA para 23% na restauração e o controlo de capitais estão a levantar grandes preocupações num dos setores vitais para a Grécia: o turismo . Alguns restaurantes confrontam -se já com a rutura de stocks. A esta realidade, juntam-se as dúvidas sobre o possível regresso ao dracma, como constataram os enviados da SIC a Atenas.

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32