sicnot

Perfil

Crise na Grécia

48 horas para aprovar reformas em troca de 86 mil milhões

48 horas para aprovar reformas em troca de 86 mil milhões

Há finalmente acordo entre a Grécia e os credores e, por isso, um novo pacote de austeridade vai a caminho de Atenas. Depois de 17 horas de reunião entre os líderes políticos da zona euro, o governo de Tsipras aceitou cumprir uma nova lista de reformas que terá de aprovar nos próximos dois dias. Em troca, vai receber mais 86 mil milhões de euros.

  • Acordo "unânime" para a Grécia

    Crise na Grécia

    Depois de quase 17 horas de negociações em Bruxelas, os líderes da zona euro alcançaram um acordo "unânime" sobre a negociação do terceiro programa de assistência financeira à Grécia.  Passos Coelho diz que o documento é "equilibrado". O presidente da Comissão Europeia garante que Atenas continuará na zona euro. Merkel diz que os gregos terão que cumprir tudo o que ficou acordado.

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".