sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Bancos gregos permanecem fechados até sexta-feira

Os bancos gregos vão permanecer fechados até pelo menos sexta-feira, segundo o novo decreto publicado pelo Ministério das Finanças grego, que amplia as operações que se podem levar a cabo nas sucursais abertas.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

O novo decreto mantém o limite para os levantamentos de dinheiro nas caixas automáticas (multibanco) em 60 euros por dia e em 120 euros o montante máximo para os pensionistas que só têm cartão.

As cerca de mais um milhar de sucursais abertas, onde até agora só se podiam pagar pensões e subsídios de desemprego, passam agora, com este decreto, a poder gerir o pagamento de quotas e créditos de todo tipo, como por exemplo dívidas ao Estado ou a empresas públicas, aos fundos de pensões estatais ou a seguros privados.

As sucursais abertas também poderão realizar transferências no seio de uma mesma entidade bancária.

Todas estas operações podiam efetuar-se até agora mas só através da Internet.

Todas as outras limitações, incluindo a proibição de todas as transferências para o estrangeiro que não forem autorizadas por uma comissão especial, circunscritas a operações comerciais de primeira necessidade, mantêm-se inalteradas com o referido decreto.

O primeiro-ministro, Alexis Tsipras, adiantou na última noite numa entrevista à televisão pública grega que os bancos previsivelmente iriam permanecer fechados até que o acordo para o terceiro resgate fosse ratificado, mas prevendo até lá uma ampliação das operações permitidas e um aumento dos limites de retirada de dinheiro das caixas automáticas.

Tsipras também afirmou que o levantamento do controlo de capitais será "progressivo", alegando que depois de uma perda de confiança os bancos não podem abrir imediatamente.

O controlo de capitais está há 17 dias em vigor (desde 29 de junho).

As filas à frente das caixas automáticas já não alcançam os comprimentos dos primeiros dias, pelo menos nos grandes centros urbanos, onde existe um maior número de máquinas.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28