sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Tsipras pede apoio do grupo parlamentar a acordo com credores

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, pediu esta quarta-feira ao seu grupo parlamentar para manter a unidade e ficar ao lado do Governo na votação desta noite do acordo com os credores internacionais.

Tsipras pediu aos deputados para manterem a unidade do Syriza nestes "momentos históricos, difíceis e críticos".

Tsipras pediu aos deputados para manterem a unidade do Syriza nestes "momentos históricos, difíceis e críticos".

ALEXANDROS VLACHOS / Lusa

Tsipras assegurou que no caso de não conseguir esse apoio será "muito difícil" continuar no cargo.

"Se não tiver o apoio do grupo parlamentar, amanhã será muito difícil continuar como primeiro-ministro", assegurou Tsipras no discurso de encerramento do grupo parlamentar do Syriza.

Pouco antes de começar o debate sobre o texto de reformas, que o parlamento deve aprovar hoje, Tsipras manifestou perante os parlamentares do partido a esquerda radical que "esgotou" todas as possibilidades de negociação e examinou todas as alternativas, antes de pedir aos que não estão de acordo que proponham uma alternativa eficaz.

Tsipras pediu ainda aos deputados para manterem a unidade do partido nestes "momentos históricos, difíceis e críticos", indicaram fontes do Governo citadas pela agência noticiosa Efe.

Nos últimos dias, vários membros do Syriza, incluindo a presidente do parlamento, Zoe Konstandopulu, definiram o acordo como uma "capitulação".

Hoje, a ministra-adjunta das Finanças, Nadia Valavani, e dois secretários-gerais apresentaram a demissão.

Entre os ministros "dissidentes" destaca-se o responsável pela Reconstrução Produtiva, Ambiente e Energia, Panagiotis Lafazanis.

Este membro da "Plataforma de Esquerda" garantiu hoje que a "unidade do partido" no poder está garantida. "Apoiamos o governo mas não apoiamos as medidas de austeridade", referiu.

Lusa

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Milhares de brasileiros protestam na Praia de Copacabana contra Temer
    3:04
  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40
  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.