sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Vice-ministra das Finanças demite-se e anuncia voto contra acordo

A vice-ministra grega das Finanças, Nadia Valavani, apresentou hoje a demissão, através de uma carta enviada ao primeiro-ministro, na qual afirma que o acordo assinado na segunda-feira de manhã com os credores "não é viável".

© Yannis Behrakis / Reuters

"Não vou votar a favor do projeto de lei [que adota o acordo com os credores] e penso que não posso ficar no Governo votando contra", disse Valavani, deputada do partido Syriza, em declarações citadas por agência sinternacionais.

Na carta que enviou ao primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, a agora ex-governante explica que considera que o acordo foi, na verdade, "uma solução imposta à Grécia" e que o próprio desenho do pacote de reformas "não é viável".

A demissão surge na sequência do acordo assinado na segunda-feira de manhã entre a Grécia e os credores internacionais, depois de um fim de semana de intensas negociações em Bruxelas.

No princípio da semana, o próprio primeiro-ministro tinha previsto divisões no seio do seu próprio partido e chegou mesmo a dizer que iria confiar na oposição para fazer aprovar o novo pacote de austeridade, em troca de apoio financeiro para fazer face a compromissos de curto prazo, entre os quais o pagamento de 3,5 mil milhões de euros ao Banco Central Europeu já na segunda-feira.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.