sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Atenas espera que terceiro resgate seja ratificado a 18 de agosto

O terceiro resgate à Grécia vai começar a ser redigido já na quarta-feira e Atenas está disposta a fazer "o que for preciso" para que o acordo seja ratificado no Parlamento a 18 de agosto, foi esta terça-feira anunciado.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

© Yiannis Kourtoglou / Reuters

Numa entrevista à cadeia privada de televisão Skai, a porta-voz do Governo grego, Olga Gerovasili, sublinhou contudo que para que haja acordo é preciso que o queiram todas as partes e que "a experiência demonstrou" que quanto mais perto se está do final, mais aumentam as pressões.

Segundo Gerovasili, na Europa ainda há "poderosos interesses estrangeiros" que, em cooperação com "alguns círculos nacionais", querem que - "por razões económicas" - a Grécia saia do euro.

Neste contexto, a porta-voz mencionou o denominado "'lobby' do dracma", numa alusão aos gregos que tiraram o seu dinheiro do país e que podem tirar proveito de uma saída da Grécia da zona euro, já que com as suas reservas em euros poderiam fazer fortunas em dracmas.

Por outro lado, Gerovasili deixou a porta aberta à possibilidade de convocar eleições antecipadas, mas recusou dar datas.

"Seria um erro planificar agora os acontecimentos políticos. O que o país precisa agora é de um Governo estável", adiantou.

No entanto, descartou a possibilidade de que a longo prazo possam continuar "a coexistir dois planos estratégicos diferentes" no Syriza, que ocorre na atualidade depois da ala mais radical ter recusado apoiar o terceiro resgate.

"Creio que duas opções políticas diferentes num só Governo são difíceis de sustentar-se", afirmou a porta-voz, que no entanto exclui a hipótese de formar uma coligação com os outros países da oposição.

A dissidência interna do Syriza levou o Governo de Alexis Tsipras a depender dos apoios parlamentares da oposição, que de facto converteu a coligação entre o Syriza e os nacionalistas Gregos Independentes num Governo de minoria.

O Comité Central do Syriza apoiou na semana passada a petição de Tsipras para convocar em setembro, previsivelmente depois da assinatura do resgate, um congresso extraordinário para debater o futuro do partido e uma possível cisão.

A Plataforma de Esquerda, a ala mais esquerdista do partido, queria que o congresso se realizasse antes da assinatura do acordo para dar assim a possibilidade às bases para pedirem ao governo para não assinar o resgate.

Lusa

  • Guterres condena onda de violência em Myanmar
    0:43

    Mundo

    António Guterres condenou a onda de violência e discriminação contra os rohingya em Myanmar, na abertura da assembleia-geral das Nações Unidas. O secretário-geral da ONU pediu ainda às autoridades do país para acabarem com as operações militares e protegerem a comunidade ameaçada.

  • Furacão Maria deixa rasto de destruição na ilha Dominica
    1:52
  • Peritos mundiais debatem doenças neurodegenerativas em Lisboa
    3:04
  • "O Benfica é atacado e não há ninguém que fale e que dê a cara?"
    6:05
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    Depois do artigo publicado no blog "Geração Benfica", Rui Gomes da Silva reiterou esta segunda-feira, em O Dia Seguinte da SIC Notícias, algumas das críticas à estrutura do clube. O antigo vice-presidente do Benfica defendeu Luís Filipe Vieira, Rui Vitória e Nuno Gomes. E acusou novamente Rui Costa de passividade e os vice-presidentes de não darem a cara. 

  • Governo aconselha pais a fazerem queixa de manuais em mau estado
    2:31
  • Acha que este padre sabe dançar?
    2:22