sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Bolsa de Atenas abre a recuar 4,48%

A bolsa de Atenas abriu esta terça-feira a recuar 4,48%, um dia depois de ter aberto após cinco semanas encerrada, com a instauração do controlo de capitais na Grécia.

Na segunda-feira, a bolsa de Atenas encerrou a perder 16,23%, uma queda histórica em dia de reabertura, depois de ter estado encerrada cinco semanas.

Na segunda-feira, a bolsa de Atenas encerrou a perder 16,23%, uma queda histórica em dia de reabertura, depois de ter estado encerrada cinco semanas.

© Yiannis Kourtoglou / Reuters

O índice Athex da praça financeira ateniense após 10 minutos da abertura encontrava-se já com uma recuperação ligeira de 0,11 %, valendo 668 pontos.

Na segunda-feira, a bolsa de Atenas encerrou a perder 16,23%, uma queda histórica em dia de reabertura, depois de ter estado encerrada cinco semanas.

O índice Athex encerrou em 668,06 pontos, recuperando ligeiramente ao longo da sessão, depois de uma queda de 22,82% na abertura.

A última queda da bolsa de Atenas com uma dimensão comparável remonta a dezembro de 1987, quando se registaram perdas de 15,3% numa única sessão.

O setor bancário foi particularmente penalizado, com perdas de 30%, o que traduz a grande vulnerabilidade do setor, à espera de uma recapitalização urgente, na sequência de levantamentos superiores a 40 mil milhões de euros desde dezembro.

As operações da bolsa grega foram interrompidas a partir de 26 de junho, numa altura em que havia um impasse nas negociações entre a Grécia e os credores (europeus e do Fundo Monetário Internacional) quanto ao financiamento do país.

Na noite de 26 de junho, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, anunciou a realização de um referendo sobre as novas medidas de austeridade propostas ao país.

Os bancos, que também estiveram encerrados desde 29 de junho, reabriram a 20 de julho.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC