sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Eurogrupo reúne-se na sexta-feira para analisar terceiro resgate à Grécia

Os ministros das Finanças da zona euro, Eurogrupo, reúnem-se na sexta-feira em Bruxelas para analisar o terceiro resgate à Grécia, depois de Atenas e as instituições credoras terem alcançado um acordo técnico.

"Eurogrupo extraordinário na sexta-feira, 14 de agosto, às 15:00 (14:00 em Lisboa) sobre a Grécia" anunciou Michel Reijns, porta-voz do presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, numa mensagem na rede social Twitter.

Atenas e os credores internacionais (União Europeia, Mecanismo Europeu de Estabilidade, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) alcançaram na terça-feira de madrugada um acordo sobre um terceiro programa de assistência financeira ao país "de cerca de 85 mil milhões de euros", anunciou o governo grego.

O texto foi entregue na terça-feira à noite aos parceiros da Grécia na zona euro e deve ser aprovado na quinta-feira pelo parlamento grego antes de ser analisado pelo Eurogrupo.

"O que temos é um acordo a nível técnico. Ainda não há um acordo político", explicava na terça-feira uma porta-voz da Comissão Europeia, Annika Breidthardt.

Se o Eurogrupo aprovar o novo programa de assistência financeira, este terá depois de ser validado por vários parlamentos, incluindo o alemão.

A Grécia quer ter acesso a uma primeira prestação financeira do empréstimo a tempo de fazer um reembolso de 3,4 mil milhões de euros ao Banco Central Europeu, pagamento que vence a 20 de agosto.

Segundo uma fonte governamental grega, a chanceler alemã, Angela Merkel, durante uma conversa telefónica com o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, na terça-feira, manifestou algumas reservas em relação à urgência de concluir este acordo e terá manifestado a sua preferência por um empréstimo transitório que permitiria a Atenas cumprir o pagamento de 20 de agosto, deixando mais tempo para a discussão do novo programa de resgate.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Míssil lançado do Iémen intercetado perto de Meca

    Mundo

    Um míssil balístico lançado pelos rebeldes xiitas do Iémen foi intercetado, quinta-feira à noite, perto de Meca, na Arábia Saudita, a um mês da peregrinação muçulmana anual do hajj, anunciou a coligação árabe que intervém no Iémen.