sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Eurogrupo reúne-se hoje para analisar 3º resgate à Grécia

Os ministros das Finanças da zona euro reúnem-se hoje à tarde em Bruxelas para discutirem o terceiro resgate à Grécia, apesar das dúvidas que permanecem e da possibilidade de se optar no imediato por um novo empréstimo transitório.

O Governo grego comprometeu-se a aplicar uma série de medidas nos próximos três anos, como contrapartida ao terceiro resgate internacional, e a implementar um "ambicioso programa de privatizações", com o qual pretende encaixar 6,4 mil milhões de euros até 2017.

O Governo grego comprometeu-se a aplicar uma série de medidas nos próximos três anos, como contrapartida ao terceiro resgate internacional, e a implementar um "ambicioso programa de privatizações", com o qual pretende encaixar 6,4 mil milhões de euros até 2017.

Petros Karadjias / AP

Depois do acordo técnico no início da semana entre Atenas e a 'troika' - Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional (FMI), Banco Central Europeu e ainda Mecanismo Europeu de Estabilidade -, a reunião do Eurogrupo de hoje deveria dar o aval político ao novo pacote de ajuda financeira de 85 mil milhões de euros.

No entanto, este Eurogrupo não deverá ser uma mera formalidade e o terceiro resgate poderá não estar pronto a tempo de Atenas receber o primeiro desembolso até 20 agosto, e de o Governo de Alexis Tsipras pagar 3,4 mil milhões de dívida ao BCE. A Alemanha tem insistido que um programa de três anos tem de ter uma base sólida e que é preciso tempo para fazer uma análise profunda. Berlim quer sobretudo esclarecimentos sobre o futuro papel do FMI, a sustentabilidade da dívida pública, a credibilidade das reformas e as privatizações.

Por isso mesmo, além dos documentos técnicos e jurídicos com vista a um novo resgate, a Comissão Europeia preparou também todos os documentos para um empréstimo intercalar, que evite que Atenas entre em incumprimento.

Este seria o segundo financiamento-ponte, depois dos 7,1 mil milhões de euros recebidos em julho passado, e deveria voltar a sair do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (MEEF), financiado pelo conjunto dos 28 Estados-Membros e não apenas pela zona do euro. Tal como da última vez, os países que não integram a zona euro deverão exigir garantias reforçadas para fazer face ao risco de Atenas não devolver o dinheiro.

Já o financiamento do terceiro resgate virá do Mecanismo Europeu de Estabilidade, o fundo de resgate permanente do euro. Mesmo que hoje seja dada 'luz verde' no Eurogrupo, o programa terá ainda de ser aprovado em vários parlamentos nacionais, caso dos da Alemanha ou Finlândia.

Atenas espera que o primeiro desembolso do terceiro programa de resgate varie entre 20 a 25 mil milhões de euros, para cobrir o pagamento ao BCE de 3,4 mil milhões nos próximos dias, os 1,6 mil milhões de euros ao FMI em setembro, o empréstimo-ponte concedido pela UE há um mês e ainda cerca de 10 mil milhões de euros para uma recapitalização imediata dos bancos gregos em situação mais frágil.

Para que possa começar a receber o dinheiro, os credores exigem que a Grécia não só aprove as medidas no parlamento, mas também que comece a executá-las.

  • Encontrados destroços do avião que caiu no Irão

    Mundo

    As autoridades iranianas encontraram destroços do avião que caiu no domingo no sudeste do país, matando as 66 pessoas que seguiam a bordo, revelou um porta-voz da Guarda Revolucionária, o exército de elite do regime.

  • 2,6 milhões de bebés morrem antes de completar um mês

    Mundo

    Os recém-nascidos no Paquistão, República Centro-Africana e Afeganistão são os que têm menor probabilidade de sobreviver, de acordo com um relatório da Unicef que revela que todos os anos 2,6 milhões de crianças morrem antes de completar um mês. Sobretudo nos países mais pobres do mundo, o número de mortes de recém-nascidos a nível global mantém-se assustadoramente elevado.

  • Galp regista lucro de 602 M€ em 2017 

    Economia

    A Galp registou um lucro de 602 milhões de euros no ano passado. Uma subida de 25 por cento em relação a 2016. De acordo com a empresa, os resultados devem-se sobretudo ao aumento da produção de petróleo e gás natural no Brasil, bem como o crescimento dos negócios da refinação e distribuição.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC