sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Delegação de credores chega esta semana a Atenas para avaliar reformas

A equipa de representantes dos credores da Grécia é esperada esta semana em Atenas para avaliar a aplicação das reformas exigidas para que prossiga a ajuda financeira ao país, indicou hoje o Ministério das Finanças grego.

© Ronen Zvulun / Reuters

Segundo o ministério, Declan Costello, da Comissão Europeia, Rasmus Rüffer, do Banco Central Europeu (BCE), Nicola Giammarioli, do Mecanismo Europeu de Estabilidade, e Delia Velculescu, do Fundo Monetário Internacional (FMI) devem reunir-se com o ministro das Finanças, Euclide Tsakalotos, e outros responsáveis gregos ao longo da semana.

Os encontros vão decorrer entre quarta-feira e sexta-feira, disse em Bruxelas a porta-voz da Comissão Europeia para os Assuntos Económicos.

Esta é a primeira visita da equipa à Grécia desde a recondução de Alexis Tsipras no cargo de primeiro-ministro, após as legislativas de 20 de setembro.

De acordo com fonte europeia, os responsáveis terão "conversações preparatórias" e há "uma cooperação total" entre as duas partes.

O parlamento grego aprovou na sexta-feira um novo pacote de medidas de austeridade e em novembro são esperadas novas medidas.

Contra estas reformas, o sindicato do setor privado GSEE já lançou um apelo para uma greve geral a 12 de novembro.

A aplicação das reformas acordadas com os credores é uma condição exigida por estes para pagar à Grécia uma nova prestação do empréstimo concedido ao país.

Atenas recebeu em agosto uma primeira tranche de 13 mil milhões de euros de um empréstimo total de 86 mil milhões que serão pagos em três anos. Este dinheiro é utilizado sobretudo para o reembolso de dívidas ao BCE e ao FMI.

Os credores devem pronunciar-se globalmente até ao fim do ano sobre as medidas exigidas para que Atenas possa iniciar, como pretende, negociações sobre a reestruturação da dívida pública e sobre a conclusão do processo de recapitalização do sistema bancário.

O BCE tem manifestado vontade de avançar neste último capítulo, mas os parceiros europeus mostram-se mais intransigentes, com a Alemanha na primeira linha, querendo "manter a pressão" sobre a Grécia.

Lusa

  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • Equipa especial de três magistradas investiga crimes ligados ao futebol
    0:46

    Desporto

    A procuradora-Geral da República criou uma equipa com três magistradas para investigar os inquéritos relativos a crimes ligados ao futebol, que começou a trabalhar no início deste mês, no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP). Na edição do Tempo Extra desta quinta-feira, Rui Santos disse que a equipa promete reultados a curto prazo.

  • Mulher de português raptado em Moçambique faz apelo ao Governo
    0:24

    País

    Salomé Sebastião, a mulher do empresário português raptado em julho de 2016, em Moçambique, foi esta quarta-feira ouvida na Comissão Parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, no âmbito da petição entregue na Assembleia da República. A petição, subscrita por mais de quatro mil pessoas, pede aos deputados portugueses que pressionem as autoridades moçambicanas a investigar o paradeiro do português Américo Sebastião.

  • Sismo de magnitude 5,5 no sul do Irão

    Mundo

    Um sismo de magnitude 5,5 atingiu esta quinta-feira o sul do Irão, perto de uma unidade nuclear, abalando o Bahrein e outras áreas ao redor do Golfo Pérsico, segundo o Serviço Geológico dos EUA.

  • Princesa do Dubai que estava em fuga foi levada de volta a casa

    Mundo

    Latifa Mohamed al Maktoum, uma das filhas do emir do Dubai e primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos, estava em fuga desde março. Latifa tinha partilhado um vídeo onde revelava que ia fugir e explicava os motivos. Fonte próxima do Governo do Dubai garantiu que a princesa foi levada de volta a casa.

    SIC

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.