sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Zona euro paga dois mil milhões de euros prometidos a Atenas

A zona euro pagou hoje, como previsto, dois mil milhões de euros a Atenas, considerando que a Grécia cumpriu as condições para receber esta parcela do empréstimo concedido em julho, anunciou o Mecanismo Europeu de Estabilidade.

Petros Giannakouris

A soma destina-se a reembolsos da dívida grega, a pagamentos em atraso e ao financiamento de projetos que contam com fundos estruturais, segundo um comunicado.

Atenas tem de fazer três reembolsos em dezembro (nos dias 7, 16 e 21) ao Fundo Monetário Internacional (FMI) no total de 1,244 mil milhões de euros.

"A decisão de pagar os dois mil milhões de euros reflete o compromisso do Governo grego no programa de assistência e a adoção de uma longa lista de reformas essenciais", nomeadamente no setor financeiro, considerou Klaus Regling, que dirige o fundo.

O dinheiro faz parte empréstimo de 86 mil milhões de euros concedido à Grécia e que será pago ao longo de três anos.

Em meados de agosto, foi anunciado um primeiro desembolso de 26 mil milhões de euros, dos quais 13 mil milhões foram para pagamentos ao FMI e Banco Central Europeu e 10 mil milhões para a recapitalização da banca. Os restantes três mil milhões seriam pagos quando houvesse reformas.

Após o pagamento efetuado hoje, ainda há mil milhões de euros que devem ser pagos a Atenas.

Também foi alcançado um acordo para o pagamento de 10 mil milhões de euros destinados à recapitalização de quatro bancos gregos.

A transferência vai ocorrer depois de uma decisão do Mecanismo Europeu de Estabilidade, mas o total não deverá ser utilizado, uma vez que nos últimos dias os bancos em causa conseguiram no mercado cerca de 6 mil milhões de euros para necessidades de recapitalização avaliadas pelo BCE em 14,4 mil milhões de euros.

Lusa

  • "O que mais tem havido nesta altura são respostas precipitadas"
    7:21

    Opinião

    Foi um "debate contigo" o de hoje, no Parlamento, sobretudo no frente-a-frente entre António Costa e Passos Coelho, na opinião de Bernardo Ferrão. O subdiretor de informação da SIC sublinha uma declaração "mortal" do primeiro-ministro, quando este disse que "ninguém quer respostas precipitadas". Por outro lado, a comissão técnica independente pedida pelo PSD pode virar-se contra o próprio partido.

    Bernardo Ferrão

  • Fuzileiros continuam no terreno a ajudar população
    3:03
  • Cozido ou empanadas chilenas para o jantar?
    5:20

    Taça das Confederações

    Portugal e Chile defrontam-se esta quarta-feira em jogo das meias-finais da Taça das Confederações. O jornalista Gonçalo Azevedo Ferreira fala sobre as previsões da imprensa chilena para o encontro, revela alguns dados sobre as presenças de Portugal e Chile em grandes competições e mostra, através das redes sociais, o lado mais descontraído da antevisão deste duelo.

  • Portugal vai pagar 3.500 milhões ao FMI até agosto
    1:18

    Economia

    Portugal vai pagar, até agosto, 3.500 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional. Mil milhões seguem já na sexta-feira. A antecipação do pagamento foi esta quarta-feira formalmente autorizada pelos parceiros e credores europeus.

  • Trump volta a criticar as chamadas "fake news"

    Mundo

    O Presidente norte-americano voltou a criticar aquilo a que chama de "fake news", em português "notícias falsas". Através da rede social twitter, Donald Trump diz que o jornal New York Times "nem sequer liga para verificar os factos e que, por isso, dá notícias falsas".

  • Família Obama de férias na Indonésia

    Mundo

    Das águas claras de Bali aos encantos dos templos de Java, o antigo Presidente norte-americano Barack Obama levou a esposa e as filhas de férias numa aventura de (re)descobertas por um país onde Obama viveu durante quatro anos da sua infância.

    SIC

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44
  • Desacatos no aeroporto de Faro deixam turistas britânicos em terra
    1:46

    País

    Cinco pessoas, que integravam o grupo de turistas britânicos que nos últimos dias causou desacatos em Albufeira, foram ontem impedidas de regressar a Inglaterra. Agressões no aeroporto e desacatos à entrada do avião levaram os comandantes de dois voos a recusar levar aqueles passageiros.