sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Grécia cumpre quinta-feira segunda greve geral no espaço de um mês

A Grécia cumpre quinta-feira uma greve geral, a segunda no espaço de um mês e um ritual que se repete desde o início da crise em 2010 e que a esquerda, no poder, não está a conseguir evitar.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Após a subida ao poder em janeiro, prometendo o fim da austeridade, o Governo de Alexis Tsipras, uma coligação do Syriza (esquerda radical) com os Gregos independentes (direita soberanista) comprometeu-se em julho a aplicar um conjunto de difíceis reformas em troca de um novo plano de resgate de 86 mil milhões de euros.

O Governo Tsipras "infelizmente e também ele cedeu às medidas de rigor e alimentou falsas esperanças", disse, citado pela agência noticiosa France Presse (AFP), o presidente da Confederação dos funcionários públicos (Adedy), Nikolaos Adamopoulos.

"A greve de quinta-feira [que junta os setores público e privado] segue-se à de 12 de novembro, que decorreu na véspera do voto no parlamento sobre o aumento dos impostos, e vamos prosseguir", assinalou.

A mobilização de quinta-feira ocorre dois dias após o voto no parlamento de um novo orçamento de austeridade e assinalado, à semelhança dos aprovados pelos anteriores governos de coligação entre a direita e os socialistas, por aumentos de impostos exigidos pelos credores de Atenas, a União Europeia (UE) e o FMI.

A greve deve afetar sobretudo o setor público, os ministérios, os hospitais, as escolas e as ligações marítimas, e estão ainda previstas paragens de trabalho nos transportes urbanos.

Adamopoulos recordou que as sucessivas mobilizações dos últimos anos provocaram a queda de três governos e a realização de quatro eleições legislativas em seis anos.

À semelhança da greve de 12 de novembro, o Syriza apelou "aos trabalhadores, reformados, desempregados e jovens para participarem em massa no movimento de quinta-feira contra as políticas neoliberais dos últimos anos", um apelo definido por analistas como uma "estranha contradição", pelo facto de o partido ocupar o poder.

Os jornalistas cumpriram hoje o dia de greve para poderem cobrir o movimento grevista na quinta-feira.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.