sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

FMI decide participação no terceiro resgate à Grécia entre abril e junho

O Fundo Monetário Internacional irá decidir, entre abril e junho, se participa no terceiro resgate à Grécia.

O BCE decidiu esta quarta-feira que não vai aumentar a linha de liquidez de emergência para os bancos nas próximas duas semanas, ainda que o Banco Central da Grécia não tenha feito nenhum pedido. (Arquivo)

O BCE decidiu esta quarta-feira que não vai aumentar a linha de liquidez de emergência para os bancos nas próximas duas semanas, ainda que o Banco Central da Grécia não tenha feito nenhum pedido. (Arquivo)

© Francois Lenoir / Reuters

A um jornal alemão, Christine Lagarde adianta, também, que as pensões a que o governo grego está obrigado é a chave para o sim do FMI a um envolvimento no terceiro resgate.

Esta quinta-feira, após a reunião do eurogrupo em Bruxelas, o ministro das finanças grego anunciou que o FMI será uma "parte ativa" no terceiro resgate ao país. Isto depois de nos últimos meses o governo grego ter defendido que não era necessário um envolvimento do FMI neste resgate de 86 mil milhões de euros. Recorde-se que Alemanha e Finlândia sempre defenderam um envolviemnto do Fundo Monetário Internacional.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.