sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Primeiro-ministro grego defende no parlamento reforma fiscal e de pensões

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, defendeu hoje, no parlamento, a reforma fiscal e de pensões, que quer aprovar esta noite, para cumprir os compromissos com os credores internacionais do país.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

"Comprometemo-nos a reformar o sistema de pensões sem reduzir as pensões principais e conseguimos", afirmou Tsipras perante os deputados, acrescentando: "O sistema necessitava de uma reforma porque é complexo, socialmente injusto e 'clientelista'. E não corresponde ao estado financeiro do país".

O primeiro-ministro assinalou que o sistema que quer aprovar hoje, na véspera da reunião do Eurogrupo, em Bruxelas, é "sustentável, sem afetar as pensões principais", e prometeu que para mais de dois milhões de reformados não haverá um único euro de corte na pensão.

"O sistema de pensões que aprovamos hoje tem como objetivo chegar a um sistema sustentável que garanta pensões com justiça social", afirmou Tsipras.

O também líder do Syriza defendeu-se das acusações do principal partido da oposição, Nova Democracia (ND), que dirigiu o país entre 2012 e 2015, afirmando que os que o acusam de impor um "tsunami de impostos" aprovaram "impostos e cortes no valor de 63.000 milhões de euros, entre 2010 e 2013", e que, "só em 2014, impuseram cortes de 10.000 milhões".

A legislação que o Governo pretende aprovar compõe-se de reformas das pensões, dos impostos diretos e dos indiretos, que permitirão economizar 5.400 milhões de euros por ano, para conseguir em 2018 um 'superavit' primário de 3,5 por cento do produto interno bruto (PIB), tal como prevê o programa do terceiro resgate, assinado no verão com os credores.

O executivo espera aprovar as reformas antes da reunião do Eurogrupo de segunda-feira, para assim poder concluir a primeira revisão do resgate e aceder aos fundos do mesmo.

O primeiro-ministro afirmou-se confiante em que após seis anos de medidas de austeridade na segunda-feira o Eurogrupo inclua na sua agenda "uma redução da dívida grega".

Os ministros das Finanças da zona euro (Eurogrupo) reúnem-se extraordinariamente na segunda-feira, em Bruxelas, e têm em agenda o novo pacote de medidas de austeridade na Grécia, definido no âmbito do terceiro resgate ao país.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.