sicnot

Perfil

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Crise na Grécia

Tsipras diz que entendimento com UE permite "virar a página" após seis anos de crise

O entendimento alcançado na zona euro para continuar a assistência financeira à Grécia e abrir caminho a um alívio da dívida grega permitirá "virar a página" de seis anos de crise, afirmou esta terça-feira o primeiro-ministro, Alexis Tsipras.

Alexis Tsipras não estava na residência, por estar a realizar uma visita oficial a Israel. (Arquivo)

Alexis Tsipras não estava na residência, por estar a realizar uma visita oficial a Israel. (Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuters

"Pela primeira vez, tivemos boas notícias", afirmou Tsipras no início de uma reunião do Conselho de Ministros, convocada para fazer um balanço da reunião do Eurogrupo que decorreu na segunda-feira em Bruxelas.

A reunião dos ministros da Finanças da zona euro abriu caminho ao pagamento de uma tranche de pelo menos 5,4 mil milhões de euros do empréstimo alcançado em julho de 2015, num total de 86 mil milhões de euros, indicou, acrescentando que o montante será "em grande parte utilizado pelo Estado para pagar dívidas".

O líder grego congratulou-se ainda com a perspetiva de um alívio da enorme dívida pública do país.

"Isso vai permitir criar um espaço financeiro para relançar a economia e para alargar a proteção social", disse Tsipras.

"Com a decisão de 24 de maio, a Grécia vai virar a página, deixando para trás seis anos de obscuridade", adiantou.

Os ministros da Finanças da zona euro terão ainda de confirmar na sua próxima reunião, a 24 de maio, os compromissos alcançados na segunda-feira, se o país entretanto cumprir as obrigações que assumiu em julho, nomeadamente em matéria de aceleração das privatizações e de aumento dos impostos indiretos.

Atenas terá ainda de chegar a acordo com os credores sobre uma série de medidas adicionais a aplicar em caso de não respeitar o objetivo de alcançar um excedente primário de 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.