sicnot

Perfil

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guiné-Bissau vê com "grande júbilo" vitória de Guterres

A Guiné-Bissau encara com "grande júbilo" a vitória de António Guterres no Conselho de Segurança das Nações Unidas na votação para secretário-geral da organização, disse esta quarta-feira à agência Lusa o ministro dos Negócios Estrangeiros, Soares Sambú.

"Nós reagimos com grande júbilo e congratulação, mas não constitui uma surpresa, porque ele era o melhor candidato", referiu o líder da diplomacia guineense.

O governante entende que é também um dia de celebração para a lusofonia.

"Estamos todos de parabéns no mundo lusófono", pelo apoio em torno de António Guterres, realçou.

Soares Sambú e o Presidente guineense, José Mário Vaz, encontraram-se com o candidato português em setembro, à margem da Assembleia-geral da ONU, em Nova Iorque, e na altura expressaram-lhe pessoalmente "o apoio da Guiné-Bissau", recordou.

A reforma das Nações Unidas é um dos "muitos desafios" que Guterres tem pela frente, começando desde logo pelo Conselho de Segurança, acrescentou.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau espera que o novo secretário-geral possa amparar a ambição de África em ter maior representatividade no órgão, nomeadamente com um lugar entre os membros permanentes - com poder de veto.

Lusa

  • "Tudo o que o Benfica está a fazer é uma forma de coação"
    1:59
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    As queixas do Benfica contra a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga foram tema de debate no Play-Off da SIC Notícias. Rodolfo Reis, Manuel Fernandes e Rui Santos acreditam que a posição está relacionada com o clássico Benfica-Porto do próximo sábado. Já João Alves considera que estes comunicados podem prejudicar o Benfica.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41
  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.