sicnot

Perfil

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Ban Ki-Moon considera Guterres "excelente escolha" para o suceder

© Denis Balibouse / Reuters

O atual secretário-geral da ONU afirmou hoje que considera António Guterres uma "excelente escolha" para o suceder no cargo.

"Conheço muito bem o senhor Guterres e considero que ele é uma excelente escolha", disse Ban Ki-moon em conferência de imprensa em Roma, à margem de um encontro com o Presidente italiano Sergio Mattarella.

O antigo alto comissário da ONU para os refugiados "mostrou uma grande compaixão pelos milhões forçados a abandonar os seus países", disse Ki-moon.

"A sua experiência como primeiro-ministro de Portugal, o seu vasto conhecimento dos assuntos mundiais e a sua inteligência serão muito úteis para dirigir as Nações Unidas neste período crucial", considerou.

O antigo primeiro-ministro português António Guterres foi indicado na quarta-feira como favorito para secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) pelo Conselho de Segurança à Assembleia-geral, que deverá aprovar o seu nome dentro de alguns dias.

O Conselho de Segurança anunciou quarta-feira que o português foi o "vencedor claro" da votação, recebendo 13 votos de encorajamento e duas abstenções, uma das quais de um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança com direito de veto.

Este órgão, com poder de veto, deverá aprovar hoje a indicação do nome de António Guterres para a Assembleia-Geral das Nações Unidas, concretizando assim a eleição do sucessor de Ban Ki-moon.

O novo secretário-geral da organização substitui Ban Ki-Moon e entra em funções a 01 de janeiro de 2017.

  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.