sicnot

Perfil

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Espanha aplaude escolha de Guterres

O ministro dos Assuntos Exteriores e da Cooperação espanhol gostou "muito" da escolha de António Guterres para secretário-geral da ONU e mostrou-se convencido de que a formalização do nome será feita por aclamação esta quinta-feira em Nova Iorque.

"António Guterres é um grande amigo de Espanha" e "é uma notícia de que gostamos muito", disse José Manuel García-Margallo ao canal 24 horas da TVE, acrescentando que acredita que "a escolha vai ser feita por aclamação".

O Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) deverá, esta quinta-feira em Nova Iorque, formalizar oficialmente a recomendação do ex-primeiro-ministro português António Guterres para secretário-geral da organização, cabendo em seguida à Assembleia Geral tomar, por maioria simples, a decisão final, o que deverá acontecer nos próximos dias.

Para García- Margallo, a tarefa que levou à escolha de António Guterres "não foi façanha pequena". O ministro espanhol já felicitou o candidato e também o ministro dos Negócios Estrangeiros português.

"Jogámos muito forte e publicamente. Anunciei desde o primeiro momento que nós iríamos aplicar a preferência ibero-americana, que iríamos votar em todos os candidatos da nossa comunidade histórica", disse José Manuel García-Margallo.

Em seguida enumerou os candidatos apoiados por Espanha: Christiana Figueres, da Costa Rica, Susanna Malcorra, da Argentina, e finalmente António Guterres.

O ministro espanhol também referiu que a escolha de Guterres "não era fácil" devido à existência de duas tendências, uma que defendia a escolha de uma mulher, e outra a de um candidato da Europa de Leste: "António Guterres não era nem da Europa de Leste. nem mulher", concluiu.

O antigo primeiro-ministro português António Guterres foi na quarta-feira indicado como favorito para secretário-geral da ONU pelo Conselho de Segurança à Assembleia-geral, que deverá aprovar o seu nome dentro de alguns dias.

O Conselho de Segurança anunciou na quarta-feira que o português era o "vencedor claro" da sexta votação informal, recebendo 13 votos de encorajamento e duas abstenções, uma das quais de um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, com direito de veto.

Este órgão, com poder de veto, deverá aprovar esta quinta-feira uma votação formal a indicar o nome de António Guterres para a Assembleia-Geral das Nações Unidas, formalizando assim a eleição do sucessor de Ban Ki-moon.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18