sicnot

Perfil

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Presidente da República considera Guterres "o melhor para o cargo"

O Presidente da República português insiste que António Guterres "é o melhor para o cargo" de secretário-geral da ONU pela sua "capacidade e visão" enquanto Durão Barroso classifica a escolha do português como uma "distinção" para o país.

Marcelo Rebelo de Sousa salienta, num artigo de opinião publicado hoje no Diário de Notícias, que "é bom quando ganham os melhores".

"Vencer na cena internacional é extremamente complexo, tal a junção de razões conjunturais e estruturais, ainda por cima num mundo mais imprevisível do que nunca. Mesmo para os melhores. Mas quando os melhores ganham é bom, é muito bom. Foi o que aconteceu neste caso. António Guterres era e é, claramente, o melhor para o cargo", sublinha o chefe de Estado português.

Marcelo Rebelo de Sousa frisa que António Guterres ganhou "pelas suas qualidades pessoais, pelo seu currículo na própria ONU, pela capacidade de visão e de equação dos principais problemas universais".

O Presidente da República destaca também o apoio "de um esforço singular de unidade nacional, de uma solidariedade institucional absoluta, de uma diplomacia que teve no primeiro-ministro e, em especial, no ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros um papel estratégico crucial, de uma equipa notável e de um protagonista de exceção, que foi o representante de Portugal na ONU, embaixador Álvaro de Mendonça e Moura e da voz prestigiada do Presidente Jorge Sampaio".

Também o ex-presidente da Comissão Europeia Durão Barroso felicita António Guterres, num artigo de opinião hoje publicado no jornal Público, considerando ser "uma grande e merecida honra para ele" e "para o país".

Durão Barroso refere que apoiou a candidatura de António Guterres desde o início, "não apenas por um sentimento patriótico, mas porque sabia" que este "desempenharia o cargo com grande competência e dedicação".

"O secretário-geral da ONU é inevitavelmente uma das mais importantes posições da vida pública internacional. Para além das funções executivas, o cargo permite grande visibilidade e confere enorme projeção política e diplomática ao seu detentor", escreve.

O ex-presidente da Comissão Europeia declara também "que a autoridade do cargo depende em larga medida do modo como ele for exercido".

Também o ex-Presidente da República Jorge Sampaio enaltece a vitória de António Guterres num artigo de opinião publicado hoje no Público, destacando que a escolha ocorreu no dia em que se comemorava a implantação da República.

Jorge Sampaio salienta que o mandato de António Guterres "terá lugar num tempo extremamente complexo, marcado por uma imperiosa necessidade de pacificar as relações entre os povos, pôr fim a violentos conflitos que grassam em várias regiões do mundo e assegurar a construção de um mundo mais igual, marcado pela afirmação dos direitos, da justiça e pelo desenvolvimento sustentável".

O ex-primeiro-ministro português António Guterres foi o mais votado na quarta-feira no Conselho de Segurança das Nações Unidas para secretário-geral da ONU, uma votação que uniu a classe política portuguesa no elogio à sua escolha.

Depois de uma hora e meia de encontro, pela primeira vez na história da organização os 15 embaixadores dos países com assento no Conselho de Segurança falaram aos jornalistas para anunciar o nome do português que recolheu 13 votos de encorajamento e duas abstenções.

Este órgão, com poder de veto, deverá aprovar hoje uma votação formal a indicar o nome de António Guterres para a Assembleia-Geral das Nações Unidas, formalizando assim a eleição do sucessor de Ban Ki-moon.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.