sicnot

Perfil

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Assembleia Geral da ONU vota na quinta-feira candidatura de António Guterres

A Assembleia Geral das Nações Unidas vai reunir-se em plenário na quinta-feira para votar a nomeação de António Guterres como novo secretário-geral da organização, informaram esta sexta-feira fontes oficiais citadas pela agência noticiosa Efe.

O presidente da Assembleia Geral, Peter Thomson, divulgou hoje uma carta em que refere a data da formalização da investidura do ex-primeiro-ministro português, designado na passada quinta-feira como o único candidato recomendado pelo Conselho de Segurança para ocupar o cargo a partir de 01 de janeiro de 2017, sucedendo ao sul-coreano Ban Ki-moon.

Na sua carta, Thomson afirma ter recebido a notificação formal da "recomendação" do Conselho de Segurança, e que no início da próxima semana fará o anúncio oficial para que a Assembleia geral atue nesse sentido em 13 de outubro.

Na missiva de Thomson permanece por definir a hora da reunião plenária dos representantes dos 193 países membros da ONU.

Ainda segundo a carta, Guterres deverá manter na semana seguinte à sua eleição um "diálogo substantivo" com a Assembleia Geral, no decurso de uma reunião informal cujos detalhes ainda não foram especificados.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.