sicnot

Perfil

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Primeiro-ministro chinês felicita Portugal pela eleição de Guterres

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, felicitou hoje Portugal e o povo português pela eleição de António Guterres para o cargo de secretário-geral das Nações Unidas, referindo que a China "facilitou" aquele mesmo desfecho.

"O Governo chinês facilitou a nomeação do engenheiro Guterres para o cargo de secretário-geral da ONU, um orgulho para todo o povo português", afirmou Li, na conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro António Costa, no Grande Palácio do Povo, em Pequim.

O responsável chinês enalteceu o "progresso estável" nas relações entre os dois países, desde o estabelecimento das relações diplomáticas, em 1979, com destaque para a forma como Lisboa lidou com questão de Macau.

Portugal e China "realizaram uma transição estável da soberania de Macau, via negociações amigáveis", disse.

Li afirmou que os dois países "têm mantido uma estreita colaboração em assuntos regionais e internacionais", saudando o reforço da "confiança política mútua".

Após anunciar a assinatura de oito acordos nos domínios da cultura e da economia, o primeiro-ministro chinês apontou o setor das energias - "especialmente a energia renovável" - e de componentes para automóveis como áreas "preferenciais" para a colaboração.

"Portugal deve aproveitar a procura do mercado chinês na área de componentes para automóveis", disse.

A China é o maior mercado de automóveis do mundo e, em 2015, venderam-se 24,59 milhões de unidades no país, um valor recorde.

António Costa foi hoje recebido pelo seu homólogo chinês com guarda de honra, salvas de canhão e o hino dos dois países tocado por uma banda militar.

A cerimónia decorreu junto à porta leste do Grande Palácio do Povo, de frente para a Praça Tiananmen. Na avenida que passa no topo norte da praça, os candeeiros estavam ornamentadas com as bandeiras dos dois países.

O primeiro-ministro português iniciou no sábado uma visita oficial à China que, além de Pequim, o levará também a Xangai, Macau e Shenzhen.

Lusa

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.