sicnot

Perfil

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres diz que a guerra síria "põe em perigo" todo o mundo

O secretário-geral designado da ONU, António Guterres, considerou esta sexta-feira que a crise da Síria "põe em perigo" toda a comunidade internacional, mostrando-se esperançado que as grandes potências vão chegar a acordo para resolver o conflito.

"Há muita divisão, interesses diferentes, mas [a crise] converteu-se num pesadelo, numa tragédia para o povo sírio, numa ameaça para a região e numa ameaça de terrorismo para todo o mundo", declarou Guterres à televisão francesa France 24.

Por isso mesmo, sublinhou que tem a esperança "de que os países que têm influência sobre a Síria possam esquecer o que os divide e os seus interesses diferentes para parar com esta guerra".

O responsável português considerou que a guerra na Síria "deve ser uma prioridade" e recordou que o mundo está "em dívida" para com o país, que durante anos acolheu milhões de refugiados iraquianos e palestinianos.

"O secretário-geral da ONU não pode parar uma guerra. Mas com uma enorme determinação, paciência e vontade pode fazer esforços de persuasão para que os atores desta crise possam trabalhar juntos para acabar com ela", realçou.

O antigo primeiro-ministro português foi aclamado na quinta-feira como novo secretário-geral das Nações Unidas, numa sessão da Assembleia-geral da ONU que ratificou a escolha feita pelo Conselho de Segurança em 05 de outubro.

Reunido em plenário, na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, o órgão que agrega os 193 Estados do mundo confirmou o que se previa, formalizando a eleição do ex-alto-comissário para os Refugiados como novo secretário-geral da organização internacional, a entrar em funções a partir de 01 de janeiro de 2017.

Lusa

  • "Tudo o que o Benfica está a fazer é uma forma de coação"
    1:59
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    As queixas do Benfica contra a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga foram tema de debate no Play-Off da SIC Notícias. Rodolfo Reis, Manuel Fernandes e Rui Santos acreditam que a posição está relacionada com o clássico Benfica-Porto do próximo sábado. Já João Alves considera que estes comunicados podem prejudicar o Benfica.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41
  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.