sicnot

Perfil

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres na ONU

Guterres diz que a guerra síria "põe em perigo" todo o mundo

O secretário-geral designado da ONU, António Guterres, considerou esta sexta-feira que a crise da Síria "põe em perigo" toda a comunidade internacional, mostrando-se esperançado que as grandes potências vão chegar a acordo para resolver o conflito.

"Há muita divisão, interesses diferentes, mas [a crise] converteu-se num pesadelo, numa tragédia para o povo sírio, numa ameaça para a região e numa ameaça de terrorismo para todo o mundo", declarou Guterres à televisão francesa France 24.

Por isso mesmo, sublinhou que tem a esperança "de que os países que têm influência sobre a Síria possam esquecer o que os divide e os seus interesses diferentes para parar com esta guerra".

O responsável português considerou que a guerra na Síria "deve ser uma prioridade" e recordou que o mundo está "em dívida" para com o país, que durante anos acolheu milhões de refugiados iraquianos e palestinianos.

"O secretário-geral da ONU não pode parar uma guerra. Mas com uma enorme determinação, paciência e vontade pode fazer esforços de persuasão para que os atores desta crise possam trabalhar juntos para acabar com ela", realçou.

O antigo primeiro-ministro português foi aclamado na quinta-feira como novo secretário-geral das Nações Unidas, numa sessão da Assembleia-geral da ONU que ratificou a escolha feita pelo Conselho de Segurança em 05 de outubro.

Reunido em plenário, na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, o órgão que agrega os 193 Estados do mundo confirmou o que se previa, formalizando a eleição do ex-alto-comissário para os Refugiados como novo secretário-geral da organização internacional, a entrar em funções a partir de 01 de janeiro de 2017.

Lusa

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.