Harry Potter

20 Anos de Magia: Quando Harry Potter perdeu o Dumbledore

Outubro de 2002. Ainda o universo cinematográfico de Harry Potter dava o primeiros passos e já tinha uma baixo de peso. O ator irlandês Richard Harris, na altura com 72 anos, morria vítima de cancro linfático. O que significava esta perda para o elenco e para a história do jovem feiticeiro? Harris interpretava nada mais nada menos que o sábio Albus Dumbledore, personagem chave da trama criada por J.K.Rowling. A sua perda poderia ser irreparável para o seguimeto da saga.

Richard Harris interpreta o papel de Albus Dumbledore em "Harry Potter e a Pedra Filosofal" (2001)

Richard Harris interpreta o papel de Albus Dumbledore em "Harry Potter e a Pedra Filosofal" (2001)

Antes do seu internamento , em Agosto de 2002, Richard Harris conseguiu terminar as filmagens de "Harry Potter e a Câmara dos Segredos". Depois e com o agravamento do seu estado de saúde os produtores do terceiro filme da saga começaram a pensar em alternativas plausíveis para a substituição de Harris. Na altura, David Heyman, produtor dos filmes, garantia que Harris " é insubstituível". "Podemos encontrar um novo Dumbledore, mas só existe um Richard Harris".

Richard Harris que só aceitou integrar o elenco da produção depois da própria neta (fã incondicional do trabalho de Rowling) ter ameaçado deixar de falar consigo, confessou que quando assinou o contrato achou a ideia de fazer sete filmes "intimidadora" porque que se considerava um "rebelde por natureza".

As especulações sobre quem iria ser o próximo Dumbledore começaram imediatamente, com a comunicação social a disparar em várias direções. Christopher Lee e Peter O'Toole foram alguns dos nomes que surgiram na época, a par de Ian McKellen (conhecido por interpretar Gandalf em "O Senhor dos Anéis").

O ator confessou que foi convidado e revelou recentemente (Abril de 2017) o motivo porque recusou o papel. Numa entrevista dada ao programa HARDtalk, da BBC, McKellen explicou que Harris não gostava dele como ator, apelidando-o, a par de Derek Jacobi e Kenneth Branaugh, como "atores tecnicamente brilhantes, mas sem paixão." Dadas as críticas, Ian McKellen explicou que não conseguia substituir um ator que sabia que não aprovava o seu trabalho.

Michael Gambon dá vida a Albus Dumbledore em "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban" (2004)

Michael Gambon dá vida a Albus Dumbledore em "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban" (2004)

IMDB

Só em Fevereiro de 2003 é que os fãs de Harry Potter ficaram a saber que seria Michael Gambon a dar vida ao diretor da escola de magia e feitiçaria de Hogwarts. Gambon diz que decidiu acentuar o sotaque irlandês de "Dumbledore" como forma de homenagear Richard Harris. O ator ofereceu ao personagem um lado mais sombrio.

  • 20 Anos de Magia: Harry Potter e as traduções

    Harry Potter

    A tradução portuguesa do sexto e penúltimo volume da saga "Harry Potter" ficou pronta no fim de Agosto de 2005. A primeira tiragem contou com 150 mil exemplares. Portugal foi um dos primeiros países de língua não inglesa a ter o livro editado. Foi um trabalho em conta relógio com a assinatura de quatro mulheres. Isabel Nunes (coordenadora da equipa de tradução), Alice Rocha, Manuela Madureira e Carmo Figueira. Mas a história da tradução dos livros livros de "Harry Potter" tem um enredo próprio.

  • 20 Anos de Magia: Porque que é que a Hermione se chamou Hermione?
    0:49

    Harry Potter

    "Harry Potter e a Pedra Filosofal" foi publicado há precisamente 20 anos. J.K.Rowling criou um universo quase sem paralelo no mundo literário. A SIC esteve à conversa com uma das tradutoras responsáveis pela adapatção dos livros para português. Isabel Nunes explicou-nos o que está na origem do nome de Hermione Granger, uma das personagens principais da saga.

  • Mergulhador britânico pondera processar Elon Musk por este o ter chamado "pedófilo"

    Mundo

    Elon Musk corre o risco de ser processado por um mergulhador britânico depois de o chamar "pedófilo" na rede social Twitter. O insulto foi feito no domingo, depois Vernon Unsworth, um dos mergulhadores que participou nas operações de resgate na Tailândia, ter acusado Musk de estar a promover um "golpe publicitário" ao oferecer um submarino para o resgate.

  • Há uma praga de gaivotas no Porto
    2:13
  • Construção civil volta a crescer
    0:49

    Economia

    Depois de anos a ser um dos setores mais penalizados pela crise a construção civil voltou a crescer. Em 2017 foram licenciados quase 19 mil edifícios, um aumento de 10% em relação ao ano anterior. 

  • Novo vídeo mostra rapazes tailandeses a dizer que estão bem e a agradecer apoio
    2:07