sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Maioria dos deputados brasileiros quer a destituição de Dilma

Uma sondagem divulgada hoje pelo jornal Folha de S. Paulo indica que 60% dos parlamentares brasileiros da Câmara dos Deputados pretende a destituição da Presidente Dilma Rousseff, pelo que vão votar a favor da continuação desse processo.

© Ricardo Moraes / Reuters

Os dados do Instituto Datafolha indicam que a chefe de Estado tem contra si, neste momento, 308 votos, 34 menos que os 342 necessários.

A pesquisa informou que 21%, ou seja 108 parlamentares, declararam que vão votar contra a destituição.

Os deputados indecisos ou que ainda não divulgaram a sua decisão totalizam 18%.

A Câmara dos Deputados do Brasil é composta por 513 parlamentares e para que haja a indicação de abertura de um processo de 'impeachment' (destituição) de um Presidente, são necessários os votos de dois terços do plenário: 342 deputados.

Para arquivar o processo, a Presidente precisa do apoio de 171 deputados.

Se o pedido de destituição de Dilma Rousseff for aprovado pelos deputados, este será remetido para o Senado, que decidirá dar ou não andamento ao processo.

Segundo o que está previsto pelo Supremo Tribunal Federal, a decisão dos senadores pode contrariar a dos deputados.

O Senado é responsável pelo processo e o julgamento de destituição de um Presidente no Brasil.

Lusa

  • "Nos últimos 14 anos alertámos que este dia iria voltar"
    3:50

    País

    O vice-presidente da Câmara de Mação diz que se sente humilhado com o recurso a meios espanhóis para o combate ao fogo no concelho. Em entrevista à SIC, António Louro, que é também engenheiro florestal, critica os vários governos e afirma que nada disto teria acontecido se tivessem ouvido os apelos desesperados da autarquia depois do incêndio que, em 2003, destruiu grande parte do concelho.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • André Ventura rejeita acusações de xenofobia
    1:27

    País

    O candidato do PSD à Câmara de Loures diz que tocou num tema que as pessoas queriam discutir. Entrevistado na SIC Notícias, André Ventura insiste que as declarações que fez sobre a comunidade cigana não são xenófobas ou racistas.

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.