sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Maioria dos deputados brasileiros quer a destituição de Dilma

Uma sondagem divulgada hoje pelo jornal Folha de S. Paulo indica que 60% dos parlamentares brasileiros da Câmara dos Deputados pretende a destituição da Presidente Dilma Rousseff, pelo que vão votar a favor da continuação desse processo.

© Ricardo Moraes / Reuters

Os dados do Instituto Datafolha indicam que a chefe de Estado tem contra si, neste momento, 308 votos, 34 menos que os 342 necessários.

A pesquisa informou que 21%, ou seja 108 parlamentares, declararam que vão votar contra a destituição.

Os deputados indecisos ou que ainda não divulgaram a sua decisão totalizam 18%.

A Câmara dos Deputados do Brasil é composta por 513 parlamentares e para que haja a indicação de abertura de um processo de 'impeachment' (destituição) de um Presidente, são necessários os votos de dois terços do plenário: 342 deputados.

Para arquivar o processo, a Presidente precisa do apoio de 171 deputados.

Se o pedido de destituição de Dilma Rousseff for aprovado pelos deputados, este será remetido para o Senado, que decidirá dar ou não andamento ao processo.

Segundo o que está previsto pelo Supremo Tribunal Federal, a decisão dos senadores pode contrariar a dos deputados.

O Senado é responsável pelo processo e o julgamento de destituição de um Presidente no Brasil.

Lusa

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.