sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Sócrates diz que o seu processo e o de Lula visaram impedir candidaturas presidenciais

O antigo primeiro-ministro José Sócrates considerou hoje que as acusações feitas ao ex-Presidente brasileiro Lula da Silva têm um objetivo semelhante ao seu próprio processo já que os dois casos visam impedir candidaturas à Presidência da República.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Em entrevista ao jornal espanhol El País, José Sócrates afirma que, tal como no seu caso, "o que está a acontecer no Brasil é uma tentativa de destituição sem delito, sem fundamento constitucional".

Para Sócrates, o processo de 'impeachment' (destituição) da atual Presidente brasileira, Dilma Rousseff, é "uma vingança política da direita, que não aceita a derrota nas urnas" e visa "impedir a candidatura de Lula [da Silva] à Presidência em 2018".

O antigo primeiro-ministro português refere na entrevista que a acusação de corrupção - feita a si próprio tal como a Lula da Silva - se transformou "num instrumento jurídico para destruição política", já que "não são precisos factos nem provas [e] basta acusar para que haja um efeito de assassinato político".

"Até a presença de Lula na apresentação de um livro meu parece agora criminosa", critica, afirmando que o caso do antigo Presidente brasileiro mostra um paralelismo com o seu.

"Houve uma detenção abusiva e julgamentos populares sem possibilidade de defesa", afirmou, lembrando ter estado nove meses detido "sem acusação ou acesso ao processo".

O objetivo, acusou, era "impedir" a sua candidatura presidencial e [conseguir] que o Partido Socialista não ganhasse as eleições. "Conseguiram ambos", considerou.

José Sócrates adianta ainda que "condenar alguém sem direito a defesa acontece no Brasil e em Portugal", o que sublinha considerar "um golpe político da direita" que já não faz uso dos militares, como era tradicional, mas sim da Justiça.

A violação do segredo de justiça é também um tema criticado por José Sócrates, quer no seu caso quer no brasileiro, tendo o antigo primeiro-ministro sublinhado que os magistrados "cometeram um delito".

"Pedir desculpa não o isenta de culpa. A legitimidade de um juiz tem por base a imparcialidade [e] com esta atitude, perdeu-a. Já não o vejo como juiz, mas sim como ativista político", concluiu.

Lusa

  • Sócrates acusa o MP de não cumprir os prazos legais na Operação Marquês
    0:46

    Operação Marquês

    José Sócrates diz que quem está hoje sob suspeita é o Ministério Público por ter feito uma detenção e prisão com motivos políticos. O ex-primeiro-ministro considera que é inadmissível que a Justiça peça agora mais seis meses para fazer a acusação, depois da Procuradoria ter fixado a data de 15 de setembro como prazo limite para a conclusão do inquérito da Operação Marquês.

  • José Sócrates acusa o MP de abuso de poder e de perseguição
    1:40

    País

    José Sócrates diz que quem está hoje sob suspeita é o Ministério Público por ter feito uma detenção e prisão com motivos políticos. Esta tarde, em Barcelos, o ex-primeiro-ministro considerou ser inadmissível que a justiça peça mais seis meses para concluir a acusação da Operação Marquês e acusou o Ministério Público de abuso de poder e de perseguição.

  • Juiz pediu desculpa por ter divulgado as escutas de Dilma e Lula
    2:16

    Crise no Brasil

    O juiz da investigação Lava Jato pediu desculpa por ter divulgado as escutas de Lula da Silva e Dilma Rousseff. O juiz garante que não tinha intenção de provocar mais polémicas num momento em que a Presidente enfrenta a maior crise política brasileira dos últimos anos.Dilma Roussef perdeu o apoio do Partido do Movimento Democrático Brasileiro que decidiu sair da coligação de governo o que fragiliza ainda mais a posição da chefe de Estado.

  • Pelo menos dois feridos em confrontos entre adeptos do Benfica e do Braga
    1:55

    Desporto

    Antes do jogo do Benfica e do Sporting de Braga, registaram-se confrontos entre os adeptos, no Estádio Municipal de Braga. Os confrontos causaram pelo menos dois feridos. Os benfiquistas queixaram-se de agressões e criticaram a ausência da polícia. Várias viaturas foram danificadas durante os distúrbios e a PSP chegou a separar adeptos do Braga e do Benfica.

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Donald Trump culpa imigrantes por ataque que nunca existiu
    1:01
  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.