sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Sócrates diz que o seu processo e o de Lula visaram impedir candidaturas presidenciais

O antigo primeiro-ministro José Sócrates considerou hoje que as acusações feitas ao ex-Presidente brasileiro Lula da Silva têm um objetivo semelhante ao seu próprio processo já que os dois casos visam impedir candidaturas à Presidência da República.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Em entrevista ao jornal espanhol El País, José Sócrates afirma que, tal como no seu caso, "o que está a acontecer no Brasil é uma tentativa de destituição sem delito, sem fundamento constitucional".

Para Sócrates, o processo de 'impeachment' (destituição) da atual Presidente brasileira, Dilma Rousseff, é "uma vingança política da direita, que não aceita a derrota nas urnas" e visa "impedir a candidatura de Lula [da Silva] à Presidência em 2018".

O antigo primeiro-ministro português refere na entrevista que a acusação de corrupção - feita a si próprio tal como a Lula da Silva - se transformou "num instrumento jurídico para destruição política", já que "não são precisos factos nem provas [e] basta acusar para que haja um efeito de assassinato político".

"Até a presença de Lula na apresentação de um livro meu parece agora criminosa", critica, afirmando que o caso do antigo Presidente brasileiro mostra um paralelismo com o seu.

"Houve uma detenção abusiva e julgamentos populares sem possibilidade de defesa", afirmou, lembrando ter estado nove meses detido "sem acusação ou acesso ao processo".

O objetivo, acusou, era "impedir" a sua candidatura presidencial e [conseguir] que o Partido Socialista não ganhasse as eleições. "Conseguiram ambos", considerou.

José Sócrates adianta ainda que "condenar alguém sem direito a defesa acontece no Brasil e em Portugal", o que sublinha considerar "um golpe político da direita" que já não faz uso dos militares, como era tradicional, mas sim da Justiça.

A violação do segredo de justiça é também um tema criticado por José Sócrates, quer no seu caso quer no brasileiro, tendo o antigo primeiro-ministro sublinhado que os magistrados "cometeram um delito".

"Pedir desculpa não o isenta de culpa. A legitimidade de um juiz tem por base a imparcialidade [e] com esta atitude, perdeu-a. Já não o vejo como juiz, mas sim como ativista político", concluiu.

Lusa

  • Sócrates acusa o MP de não cumprir os prazos legais na Operação Marquês
    0:46

    Operação Marquês

    José Sócrates diz que quem está hoje sob suspeita é o Ministério Público por ter feito uma detenção e prisão com motivos políticos. O ex-primeiro-ministro considera que é inadmissível que a Justiça peça agora mais seis meses para fazer a acusação, depois da Procuradoria ter fixado a data de 15 de setembro como prazo limite para a conclusão do inquérito da Operação Marquês.

  • José Sócrates acusa o MP de abuso de poder e de perseguição
    1:40

    País

    José Sócrates diz que quem está hoje sob suspeita é o Ministério Público por ter feito uma detenção e prisão com motivos políticos. Esta tarde, em Barcelos, o ex-primeiro-ministro considerou ser inadmissível que a justiça peça mais seis meses para concluir a acusação da Operação Marquês e acusou o Ministério Público de abuso de poder e de perseguição.

  • Juiz pediu desculpa por ter divulgado as escutas de Dilma e Lula
    2:16

    Operação Lava Jato

    O juiz da investigação Lava Jato pediu desculpa por ter divulgado as escutas de Lula da Silva e Dilma Rousseff. O juiz garante que não tinha intenção de provocar mais polémicas num momento em que a Presidente enfrenta a maior crise política brasileira dos últimos anos.Dilma Roussef perdeu o apoio do Partido do Movimento Democrático Brasileiro que decidiu sair da coligação de governo o que fragiliza ainda mais a posição da chefe de Estado.

  • 950 militares cercam a Rocinha, no Rio de Janeiro
    2:36
  • Terra volta a termer no México

    Mundo

    Um sismo de magnitude 6,2, na escala de Richter, foi registado às 05h30, hora local, 23h30, em Lisboa. Até ao momento não há registo de vítimas ou danos materiais.

  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04

    Mundo

    O Presidente francês volta hoje a ser alvo de manifestações contra a reforma laboral. Os protestos foram organizados por Jean Luc Melenchon, o candidato da extrema-esquerda que concorreu contra Macron.

  • Tony Carreira em Paris com sala cheia
    2:36

    Cultura

    O cantor Tony Carreira actuou ontem em Paris e teve sala cheia a aplaudir os temas que o tornaram conhecido há quase 30 anos. As recentes acusações de plágio não parecem afectar a popularidade do artista, que vai continuar em tournée. A Sic acompanhou o artista neste concerto.