sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Sócrates diz que o seu processo e o de Lula visaram impedir candidaturas presidenciais

O antigo primeiro-ministro José Sócrates considerou hoje que as acusações feitas ao ex-Presidente brasileiro Lula da Silva têm um objetivo semelhante ao seu próprio processo já que os dois casos visam impedir candidaturas à Presidência da República.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Em entrevista ao jornal espanhol El País, José Sócrates afirma que, tal como no seu caso, "o que está a acontecer no Brasil é uma tentativa de destituição sem delito, sem fundamento constitucional".

Para Sócrates, o processo de 'impeachment' (destituição) da atual Presidente brasileira, Dilma Rousseff, é "uma vingança política da direita, que não aceita a derrota nas urnas" e visa "impedir a candidatura de Lula [da Silva] à Presidência em 2018".

O antigo primeiro-ministro português refere na entrevista que a acusação de corrupção - feita a si próprio tal como a Lula da Silva - se transformou "num instrumento jurídico para destruição política", já que "não são precisos factos nem provas [e] basta acusar para que haja um efeito de assassinato político".

"Até a presença de Lula na apresentação de um livro meu parece agora criminosa", critica, afirmando que o caso do antigo Presidente brasileiro mostra um paralelismo com o seu.

"Houve uma detenção abusiva e julgamentos populares sem possibilidade de defesa", afirmou, lembrando ter estado nove meses detido "sem acusação ou acesso ao processo".

O objetivo, acusou, era "impedir" a sua candidatura presidencial e [conseguir] que o Partido Socialista não ganhasse as eleições. "Conseguiram ambos", considerou.

José Sócrates adianta ainda que "condenar alguém sem direito a defesa acontece no Brasil e em Portugal", o que sublinha considerar "um golpe político da direita" que já não faz uso dos militares, como era tradicional, mas sim da Justiça.

A violação do segredo de justiça é também um tema criticado por José Sócrates, quer no seu caso quer no brasileiro, tendo o antigo primeiro-ministro sublinhado que os magistrados "cometeram um delito".

"Pedir desculpa não o isenta de culpa. A legitimidade de um juiz tem por base a imparcialidade [e] com esta atitude, perdeu-a. Já não o vejo como juiz, mas sim como ativista político", concluiu.

Lusa

  • Sócrates acusa o MP de não cumprir os prazos legais na Operação Marquês
    0:46

    Operação Marquês

    José Sócrates diz que quem está hoje sob suspeita é o Ministério Público por ter feito uma detenção e prisão com motivos políticos. O ex-primeiro-ministro considera que é inadmissível que a Justiça peça agora mais seis meses para fazer a acusação, depois da Procuradoria ter fixado a data de 15 de setembro como prazo limite para a conclusão do inquérito da Operação Marquês.

  • José Sócrates acusa o MP de abuso de poder e de perseguição
    1:40

    País

    José Sócrates diz que quem está hoje sob suspeita é o Ministério Público por ter feito uma detenção e prisão com motivos políticos. Esta tarde, em Barcelos, o ex-primeiro-ministro considerou ser inadmissível que a justiça peça mais seis meses para concluir a acusação da Operação Marquês e acusou o Ministério Público de abuso de poder e de perseguição.

  • Juiz pediu desculpa por ter divulgado as escutas de Dilma e Lula
    2:16

    Crise no Brasil

    O juiz da investigação Lava Jato pediu desculpa por ter divulgado as escutas de Lula da Silva e Dilma Rousseff. O juiz garante que não tinha intenção de provocar mais polémicas num momento em que a Presidente enfrenta a maior crise política brasileira dos últimos anos.Dilma Roussef perdeu o apoio do Partido do Movimento Democrático Brasileiro que decidiu sair da coligação de governo o que fragiliza ainda mais a posição da chefe de Estado.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.