sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Dilma exonera ministros para votarem contra a destituição

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, exonerou quatro ministros do governo que têm mandato na Câmara dos Deputados para reassumirem o cargo de parlamentares e votarem contra o seu "impeachment" no domingo.

© Ueslei Marcelino / Reuters

As exonerações, publicadas no "Diário Oficial da União" de hoje, aplicam-se aos ministros Celso Pansera, titular da pasta da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcelo Castro, responsável pela Saúde, e Mauro Lopes, da Secretaria de Aviação Civil, todos do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).

O PMDB, que era o principal aliado do Partido dos Trabalhadores (PT) de Dilma Rousseff e responsável por seis ministérios, decidiu, a 29 de março, abandonar o executivo, mas na altura nem todos os ministros desta força política concordaram em deixar os cargos.

O outro ministro exonerado foi Patrus Ananias, do PT e responsável pelo Desenvolvimento Agrário.

Também foi publicada hoje a exoneração de Gilberto Occhi, que na quarta-feira decidiu abandonar a liderança do Ministério da Integração Nacional, na sequência de um pedido do Partido Progressista (PP), no qual é filiado.

Numa reunião na terça-feira à noite, por ampla maioria, o PP decidiu votar a favor da impugnação do mandato da Presidente brasileira, Dilma Rousseff.

Para o lugar de Gilberto Occhi, foi nomeado, interinamente, José Rodrigues Pinheiro Dória, que comanda a Secretaria Nacional de Irrigação e que passará a acumular as duas funções.

Estes votos podem vir a fazer a diferença, numa altura em que Dilma Rousseff vê o seu futuro na Presidência cada vez mais incerto, com várias formações políticas a anunciarem que vão votar a favor do seu afastamento na votação de domingo na Câmara dos Deputados.

Para o processo de destituição da Presidente ser aprovado e seguir para o Senado, são necessários os votos de pelo menos 342 dos 513 deputados.

Para arquivar o pedido, o governo precisa do apoio de 172 deputados, entre votos a favor, faltas e abstenções.

A possibilidade de impugnação do mandato de Dilma Rousseff surgiu na sequência da revelação das chamadas "pedaladas fiscais", atos ilegais resultantes da autorização de adiantamentos de verbas de bancos para os cofres do Governo para melhorar o resultado das contas públicas.

Se o pedido de 'impeachment' for aprovado, o vice-presidente, Michel Temer, assumirá interinamente o cargo.

Lusa

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.