sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Governo brasileiro teme violência no dia da votação do processo de destituição de Dilma

O Ministro da Justiça do Brasil, Eugênio Aragão, disse que a realização simultânea de manifestações, contra e pró-Governo, defronte do Congresso Nacional no dia da votação do pedido de destituição da Presidente Dilma Rousseff pode descambar em violência.

© Lunae Parracho / Reuters

Na semana passada, um muro feito de chapas de aço foi instalado na área pelo Governo do Distrito Federal para tentar evitar confrontos entre os manifestantes.

Segundo informações do jornal Valor Econômico, o ministro da Justiça considerou a medida insuficiente e foi enfático ao afirmar que separar os dois grupos com um muro não é uma boa ideia porque ficarão muito próximos.

Para Eugênio Aragão, toda a zona da Esplanada dos Ministérios deveria ser fechada, e os protestos contra e pró-Governo na cidade de Brasília teriam que ser realizados em locais diferentes e distantes entre si.

A notícia da Valor Económico destaca, ainda, que o Palácio do Planalto foi alertado sobre graves riscos, com informações do sector de inteligência que referem a possibilidade de algum manifestante atirar querosene e atear fogo no espelho de água existente no local.

Desde o final do ano passado, Dilma Rousseff é ameaçada por um processo de destituição em curso na Câmara dos Deputados.

A Presidente é acusada de ter cometido um crime de responsabilidade por praticar "pedaladas fiscais" (atraso das transferências de dinheiro do Governo aos bancos para melhorar as contas públicas) e por ter assinado decretos que geraram despesas extras sem a autorização do Congresso.

No próximo domingo, uma votação no plenário da Câmara decidirá se estas acusações prosseguem para o Senado.

Se a Presidente for processada e condenada pelos senadores, será destituída e o vice-Presidente Michel Temer passa a ocupar o cargo.

Nesse caso, Dilma Rousseff também perderá o direito de exercer qualquer cargo público por um período de oito anos.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.