sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Supremo rejeita providência cautelar para anular debate de destituição de Dilma

A maioria dos juízes do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil decidiu esta madrugada rejeitar a providência cautelar apresentada pelo Governo para anular o pedido de impugnação da Presidente Dilma Rousseff, que será votado pelos deputados no domingo.

© Ueslei Marcelino / Reuters

A Advocacia-Geral da União (AGU), que defende o Governo, questionou o parecer aprovado na comissão especial criada na Câmara dos Deputados para apreciar o pedido de 'impeachment' da Presidente, que foi favorável à continuidade do processo.

A AGU argumentava que "foram incluídas 'matérias estranhas', como assuntos relacionados ao mandato anterior da Presidenta Dilma", o que dificulta "saber, com exatidão" do que é que está a ser acusada e porquê.

Por outro lado, também considerou que o processo violou o direito de defesa da Presidente em várias ocasiões.

Segundo Edson Fachin, relator das ações apresentadas no STF para anular o parecer da comissão do 'impeachment' e a votação, a Presidente teve oportunidade de apresentar a sua defesa após receber a denúncia e o relatório da comissão especial serve apenas para orientar a decisão dos deputados.

Edson Fachin considerou que se é no Senado que o contraditório haverá de ser "profundamente" exercido, será no Senado que a presente denúncia poderá ser questionada.

O Presidente do STF, Ricardo Lewandowski, esclareceu que estava a votação o parecer da comissão parlamentar e não a denúncia que o antecedeu.

Dos onze juízes que integram o STF, oito votaram contra a providência cautelar, dois a favor e um não esteve presente, por estar no estrangeiro numa viagem de trabalho.

O juiz Marco Aurélio votou a favor da providência cautelar dizendo que Dilma Rousseff defendeu-se apenas do que estava na denúncia e não do que foi acrescentado no parecer da comissão.

O magistrado alertou estar em causa "um processo seríssimo" e que o parecer da comissão tem contornos de denúncia.

O presidente do STF também contrariou a maioria, por entender que "houve cerceamento da defesa" e um "extravasamento do parecer em relação ao que continha a denúncia".

O parecer pode induzir os parlamentares a erros, sublinhou.

Sobre a ordem da votação do pedido de 'impeachment' no plenário da Câmara dos Deputados, a maioria dos juízes validou a alternância entre deputados do norte e do sul do país, indeferindo três ações que questionavam a regra adotada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Também por maioria, os juízes do STF rejeitaram igualmente o pedido que havia sido feito por deputados para anular a votação do parecer que foi feita na comissão.

O pedido de 'impeachment' de Dilma Rousseff será assim votado no próximo domingo no plenário da Câmara dos Deputados e, se for aprovado, segue para o Senado.

Se passar no Senado, o vice-presidente brasileiro, Michel Temer, assume temporariamente a Presidência até ao encerramento do processo, que não deve demorar mais do que 180 dias.

Nessa altura, decorrem os interrogatórios, a apresentação de provas e da defesa de Dilma Rousseff para validar ou não a denúncia.

Depois, a votação final ditará se Dilma Rousseff volta ao cargo ou se será condenada, ficando inabilitada para exercer qualquer função pública por oito anos.

A possibilidade de impugnação do mandato de Dilma Rousseff surgiu na sequência da revelação das chamadas "pedaladas fiscais", atos ilegais resultantes da autorização de adiantamentos de verbas de bancos para os cofres do Governo para melhorar o resultado das contas públicas.

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • As polémicas do primeiro mês de Donald Trump como Presidente
    3:17
  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Benefícios fiscais trouxeram a Portugal 10 mil estrangeiros em 2015

    Economia

    Os benefícios fiscais em Portugal atraíram mais de 10 mil estrangeiros no ano passado. A maioria vem com o estatuto de residente não habitual, que dá isenção total de IRS aos reformados por dez anos e 20% de isenção no imposto para profissionais que estiverem ligados a atividades de valor acrescentado como Psicologia, Investigação ou Medicina.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.