sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

"Tchau, querida" e "não vai ter golpe" marcam protestos em dia de votação da impugnação

Manifestantes contra e a favor do processo de impugnação do mandato da Presidente brasileira Dilma Rousseff estão na rua em várias cidades do Brasil, com cartazes com frases como "tchau, querida" e "não vai ter golpe" a marcarem posições.

© Ueslei Marcelino / Reuters

Segundo o site de notícias G1, a meio da tarde registavam-se protestos no Distrito Federal e em 24 dos 26 estados do Brasil.

Sem que tenham sido ainda divulgados números da afluência às manifestações, imagens televisivas mostram que as maiores concentrações, com muitos milhares de pessoas, decorrem em São Paulo, que conta com a maior bancada no Congresso Nacional (70 deputados), e no Rio de Janeiro, onde a música anima os manifestantes.

Segundo o jornal Globo, em Brasília, perto da Câmara dos Deputados, onde está a ser votado o pedido de impugnação do mandato presidencial que poderá levar à destituição de Dilma Rousseff, um homem fez-se acompanhar de um caixão para a Presidente brasileira.

Na capital federal, as manifestações foram separadas por uma barreira de cerca de um quilómetro de comprimento para evitar confrontos entre manifestantes, muitos dos quais chegaram de outras cidades e estão acampados desde segunda-feira.

O Globo avança ainda que há protestos de brasileiros também no exterior, como em Nova Iorque e na Argentina.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras