sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Governo fala em "indignação e tristeza" após aprovação do impeachment

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, que representa o Governo do Brasil, falou hoje em "indignação e tristeza" pela aprovação pelos deputados do pedido de afastamento de Dilma Rousseff da Presidência por ser uma decisão "puramente política".

José Eduardo Cardozo, advogado-geral da União, disse que houve várias traições na votação, dado que o Governo contava com mais votos de deputados para travar o pedido de "impeachment".

José Eduardo Cardozo, advogado-geral da União, disse que houve várias traições na votação, dado que o Governo contava com mais votos de deputados para travar o pedido de "impeachment".

© Ueslei Marcelino / Reuters

A votação mostrou "com muita clareza, e essa é a razão da tristeza e indignação", que foi "uma decisão de natureza puramente politica e não é isso que a nossa Constituição prescreve para um pedido de 'impeachment'", disse.

"As falas dos deputados giraram sobre tudo, mas não sobre os argumentos" na base do pedido de 'impeachment', referiu, frisando que nas discussões que antecederam a votação também "ninguém discutiu os factos que são objeto de acusação".

O pedido de impugnação do mandato de Dilma Rousseff surgiu na sequência da revelação das chamadas "pedaladas fiscais", atos ilegais resultantes da autorização de adiantamentos de verbas de bancos para os cofres do Governo para melhorar o resultado das contas públicas.

O advogado do Governo voltou a referir que não há qualquer crime de responsabilidade de que Dilma Rousseff possa ser acusada neste caso e destacou falhas no processo, com a inclusão de alguns factos no relatório votado pelos deputados, o que, do seu ponto de vista, fez com que a Presidente não soubesse claramente daquilo que está a ser acusada.

Em declarações aos jornalistas, José Eduardo Cardozo acusou o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, de ter colocado a "mão" em todo o processo, de ter induzido "esta confusão propositadamente" e de ter utilizado o seu poder para "conduzir ao desfecho" de hoje.

Voltando a falar em vingança, por causa de o Partido dos Trabalhadores (PT) ter votado a favor do processo de cassação de Eduardo Cunha no Conselho de Ética, o advogado do Executivo estranhou que esse processo se arraste, enquanto o do 'impeachment' tenha corrido "rapidamente".

José Eduardo Cardozo disse que houve várias traições na votação, dado que o Governo contava com mais votos de deputados para travar o pedido de impeachment (impugnação).

A Câmara dos Deputados do Brasil aprovou, no domingo à noite, o pedido de afastamento de Dilma Rousseff do cargo de Presidente por 367 votos a favor e 137 contra.

Agora, o processo segue para o Senado e, se ali for aprovado, a Presidente será temporariamente afastada do cargo.

O advogado do Governo mostrou acreditar que no Senado o processo será completamente diferente, porque não há factos para acusar a Presidente de crimes de responsabilidade.

Dilma Rousseff, que continua "serena", segundo Cardozo, falará hoje, durante o dia, sobre o caso, mas ainda não há uma hora prevista.

Segundo o também ex-ministro da Justiça, Dilma Rousseff não se "abaterá" com a decisão de domingo e não deixará de "lutar pelo que acredita", sendo uma pessoa com "apego a princípios" e não com apego a cargos.

A Presidente lutará para que, mais uma vez, o Brasil não sofra um golpe de Estado e em defesa da democracia, vincou.

Questionado sobre recursos que poderão ser apresentados junto do poder judicial, José Eduardo Cardozo disse que há várias opções em estudo para o fazer, como a "falta de causa justa para o 'impeachment".

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • O edifício mais longo do mundo

    Mundo

    Se pensa que já viu tudo em relação aos edifícios mais longos e complexos do mundo, pense duas vezes. O edifício mais longo do mundo pode estar prestes a chegar e promete fazer de Nova Iorque uma cidade ainda mais atrativa.