sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Líder do PT reconhece derrota na votação para destituir Dilma

O líder do Partido dos Trabalhadores do Brasil na câmara dos Deputados, José Guimarães, já reconheceu a derrota do partido e de Dilma Rousseff na votação sobre a abertura do processo de 'impeachment' (impugnação) contra a Presidente.

© Ueslei Marcelino / Reuters

"Os golpistas ganharam aqui na Câmara", disse o deputado José Guimarães, do Partido dos Trabalhadores, da Presidente e do ex-chefe de Estado Lula da Silva, antes do fim da votação do processo de destituição no plenário.

"Num momento como este, nós temos de ter tranquilidade, humildade e falar para o país que os golpistas cresceram aqui na Câmara, mas que a luta continua, nas ruas e no Senado", acrescentou.

As declarações foram proferidas ainda antes do final da votação, mas numa altura em que já se somavam mais 300 votos a favor do afastamento de Dilma Rousseff da presidência do Governo barsileiro.

O pedido de impugnação do mandato presidencial será aprovado com 342 votos, enquanto o bloqueio do processo precisava de 172 votos.

O processo de votação é nominal e cada um dos 513 deputados é chamado a comparecer diante de um microfone para manifestar o seu voto. Além de dizer sim ou não, muitos parlamentares aproveitaram o momento para fazer críticas e convocar suas bases eleitorais.

Se a abertura do processo passar hoje, seguirá depois para aprovação no Senado, e, se também ali for aprovado, o vice-presidente, Michel Temer, assumirá temporariamente a Presidência.

A possibilidade de impugnação do mandato de Dilma Rousseff surgiu na sequência da revelação das chamadas "pedaladas fiscais", atos ilegais resultantes da autorização de adiantamentos de verbas de bancos para os cofres do Governo para melhorar o resultado das contas públicas.

Lusa

  • Manifestação contra resultados do partido alemão de Extrema-Direita
    0:39
  • Ciclista Peter Sagan tricampeão do mundo

    Desporto

    O eslovaco Peter Sagan deixou este domingo mais uma marca na história do ciclismo, ao sagrar-se campeão do mundo de fundo pela terceira vez consecutiva, uma proeza inédita para norueguês ver e lamentar.