sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Polícia relaciona subornos de construtora com Lula da Silva

Um documento da Polícia Federal (PF) brasileira indica pagamentos realizados ao Instituto Lula e à LILS Palestras na contabilidade usada pela construtora Andrade Gutierrez para pagamento de subornos, divulgou hoje a imprensa brasileira.

Lula da Silva, ex-Presidente do Brasil.

Lula da Silva, ex-Presidente do Brasil.

© Adriano Machado / Reuters

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, um laudo da PF feito com base na quebra do sigilo fiscal da empreiteira Andrade Gutierrez destaca o pagamento de 3,6 milhões de reais (879 mil de euros) ao Instituto Lula e à LILS Palestras, ligados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre 2011 e 2014.

São valores que "transitaram" por uma conta chamada "Overhead" e que fizeram o mesmo percurso do dinheiro que abasteceu empresas investigadas por lavagem de dinheiro de subornos alvo da Operação Lava Jato (que investiga corrupção, branqueamento de capitais e evasão fiscal, nomeadamente na Petrobras), como empresas ligadas aos operadores financeiros Adir Assad, Fernando "Baiano" Soares, Mário Goes e Júlio Gerin Camargo, todos presos.

O documento é de 25 de fevereiro e foi elaborado pelos peritos criminais federais Daniel Paiva Scarparo, Audrey Jones de Souza e Ivan Roberto Ferreira Pinto.

Anexado, nesta segunda-feira, ao inquérito aberto para investigar o envolvimento da Andrade Gutierrez no esquema de cartel e corrupção na Petrobras, o documento servirá para a Lava Jato cruzar dados documentais com as declarações dadas pelos executivos da construtora, no acordo de delação premiada (ato de prestar informações em troca da redução da pena).

Os pagamentos aos organismos ligados a Lula da Silva foram incluídos no item "pagamentos a ex-agentes públicos".

Os inquéritos que investigam suposto envolvimento de Lula da Silva no esquema de corrupção na Petrobras foram enviados ao Supremo Tribunal Federal (STF) que irá decidir quem deve investigar, a primeira instância, em Curitiba, ou a Procuradoria-Geral da República, em Brasília.

De acordo com o Instituto Lula, "os serviços foram palestras. Lula realizou 72 palestras para 45 empresas de diversos países e setores, inclusive para a Infoglobo, das Organizações Globo".

"Todas as palestras foram realizadas regularmente, com valores cobrados em condições iguais de todas as empresas, com nota fiscal e todos os impostos foram pagos dentro da lei. Elas não têm nenhuma relação com nenhuma ilegalidade ou vantagem indevida", sublinhou o comunicado do instituto.

"Configura ato ilegal, além de desvio funcional, a elaboração e a divulgação de laudos que tentam vincular o pagamento de valores à LILS e doações ao Instituto Lula a supostas condutas indevidas de terceiros", disseram, em nota, os advogados do ex-presidente brasileiro.

Ainda segundo os advogados, o parecer "apresentado não tem consistência técnica, mas apenas trabalha com ilações, o que é reprovável na atividade policial ou em qualquer ato de persecução do Estado, que não pode expor gratuitamente a honra e a imagem de seus jurisdicionados".

Lusa

  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria", Reportagem Especial de hoje.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Como fugir às comissões bancárias
    7:24

    Contas Poupança

    Há muitos casos em que ter uma conta no banco está a dar prejuízo. Os juros são tão baixos e as comissões de manutenção de conta são tão altas que há portugueses que todos os meses perdem dinheiro apenas porque têm dinheiro no banco. O Contas Poupança foi à procura de alternativas.

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.

  • Número de mortos em atentado em Cabul sobe para 31

    Mundo

    O número de mortos no atentado com um carro armadilhado atribuído aos talibãs, esta segunda-feira de manhã em Cabul, subiu para 31, aos quais se somam cerca de 40 feridos, de acordo com um novo balanço das autoridades.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34