sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

ONU repudia declarações de deputado brasileiro que exaltam tortura da ditadura

A ONU expressou esta sexta-feira o seu "repúdio" e "condenação" às declarações do deputado que exaltou a tortura exercida durante a ditadura no Brasil na votação de domingo sobre o processo de destituição da Presidente brasileira, Dilma Rousseff.

© Ueslei Marcelino / Reuters

O gabinete da ONU no Brasil censurou, em comunicado, a "retórica de falta de respeito contra os direitos humanos" proferida pelo deputado Jair Bolsonaro, que recordou o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, um dos chefes do aparelho de repressão da ditadura que governou o país entre 1964 e 1985.

O deputado homenageou Ustra, que torturou Dilma Rousseff quando esteve presa por lutar contra a ditadura, no momento de votar pela continuidade do processo de destituição da Presidente.

Ustra foi "reconhecido pela justiça brasileira e pela Comissão Nacional da Verdade como torturador durante a última ditadura militar no país", recordou a ONU.

Segundo a ONU, aquele tipo de comentários são "inaceitáveis, especialmente quando feitos por representantes de instituições brasileiras e eleitos por voto popular".

A ONU sublinhou também que "qualquer tipo de apologia a violações dos direitos humanos e à tortura está absolutamente proibida pela Constituição brasileira e pelo direito internacional" e instou os brasileiros a defenderam os "valores da democracia e a dignidade humana".

Lusa

  • Milhares protestam contra Donald Trump no Dia do Presidente
    1:55

    Mundo

    Milhares de pessoas voltaram a protestar contra Donald Trump, nos Estados Unidos da América. As marchas em várias cidades aconteceram no feriado que assinala o Dia do Presidente. Os manifestantes exigiram a destituição do chefe de Estado.

  • O mistério da morte do meio irmão de Kim Jong-un
    2:32
  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Homens e mulheres nas tarefas domésticas
    2:09

    País

    Nas gerações mais novas, já há sinais de mudança na divisão e partilha de tarefas em casa. No entanto, entre os mais velhos, as tarefas de casa são quase sempre obrigação da mulher. A igualdade entre homens e mulheres é ainda miragem dentro de casa e em termos de salários.