sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Defesa de Dilma diz que denúncias de obstrução à justiça são falsas

O Governo do Brasil disse hoje que as alegações de que a Presidente Dilma Rousseff teria tentado obstruir a justiça e interferir nas investigações da Operação Lava Jato são falsas e já foram esclarecidas.

© Ueslei Marcelino / Reuters

"Tendo em vista as informações divulgadas pela imprensa de que a Procuradoria-geral da República determinou a abertura de inquérito para apurar as denúncias do senador Delcidio do Amaral acerca de eventual obstrução de justiça, o advogado geral da união, José Eduardo Cardozo, esclarece que as denúncias são absolutamente levianas e mentirosas", lê-se num comunicado oficial do advogado Geral da União, que é o representante legal do Governo.

A imprensa brasileira noticiou hoje que a Procuradoria-geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de inquérito contra Dilma Rousseff, o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o advogado Geral da União, José Eduadro Cardozo, baseado em escutas telefónicas e declarações do senador Delcídio do Amaral.

A PGR quer que a investigação apure se Dilma Rousseff tentou obstruir a Justiça ao nomear o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva ministro da Casa Civil.

O senador Delcídio do Amaral disse na sua "delação premiada" (acordo de redução de pena em troca de cooperação com a justiça), que Dilma Rousseff conhecia os esquemas de corrupção na Petrobras e tentou interferir na Operação Lava Jato ao nomear Marcelo Navarro para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) para barrar as investigações.

Sobre estas declarações, a nota do representante legal do Governo aponta que "a abertura de inquérito irá demonstrar apenas que o senador, mais uma vez, faltou com a verdade, como aliás já anteriormente havia feito quando mencionou ministros do Supremo Tribunal Federal na gravação que ensejou a sua prisão preventiva".

O Instituto Lula também divulgou um comunicado sobre o pedido de investigação apresentado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao STF contra o Ex-Presidente e a chefe de Estado.

"Só existe um crime evidente neste episódio: a gravação clandestina e divulgação ilegal de um telefonema da Presidente da República. Mais grave ainda é que este crime tenha sido praticado por um juiz federal, afrontando não apenas a lei mas uma decisão do Supremo Tribunal Federal", alega o comunicado.

O texto também indica que "conversas telefónicas do ex-Presidente Lula, grampeadas [escutadas] pela Operação Lava Jato, são a prova cabal de que não houve ilegalidade nem obstrução à justiça em sua nomeação para o Ministério pela Presidente Dilma Rousseff".

"A gravação ilegal indesculpável é que deveria merecer a ação da Procuradoria Geral da República, em defesa da lei e do estado de direito", acrescenta o mesmo comunicado.

Lusa

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.