sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Dilma inaugura central hidroelétrica envolta em suspeitas de corrupção

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, manifestou-se hoje orgulhosa pelos "ganhos sociais e ambientais" que vão ser gerados pela central hidroelétrica de Belo Monte, inaugurada hoje, mas cujo empreendimento está envolto em suspeitas de corrupção.

© Ueslei Marcelino / Reuters

Mostrando-se orgulhosa pelo "ganhos sociais e ambientais" do empreendimento, a chefe de Estado brasileira destacou que se trata de um projeto de desenvolvimento para o país e, principalmente, para a região norte e que permite atrair empresas, porque não vai faltar energia.

"Belo Monte é grandiosa e mostra a capacidade que temos de construir uma obra desse porte", sublinhou.

A central hidroelétrica de Belo Monte, localizada no sudeste do Pará, é considerada a terceira maior do mundo.

Com capacidade instalada de 11.233,1 megawatts, a maior central hidroelétrica inteiramente brasileira terá carga suficiente para abastecer 60 milhões de pessoas em 17 Estados, o que representa cerca de 40% do consumo residencial do país.

Segundo informações da empresa responsável, a Norte Energia S.A, as obras civis do empreendimento estão praticamente concluídas e a previsão é de que a cada dois meses, em média, seja ativada uma nova turbina até o pleno funcionamento da hidroelétrica, em 2019.

Os primeiros estudos começaram na década de 1970 e, desde então, o projeto original sofreu várias modificações para que fossem reduzidos os impactos ambientais da central, de acordo com uma nota da Presidência.

A obra foi usada pelo Partido dos Trabalhadores (PT, no poder), como uma das principais propagandas para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e dotar o país de infraestruturas.

O terceiro maior banco de desenvolvimento do mundo, o BNDES, pagou quase 80% do valor total investido para a construção da central, 28,9 mil milhões de reais (7,2 mil milhões de euros).

Segundo informações divulgadas na edição do passado dia 7 de abril pelo jornal Folha de São Paulo, executivos da Andrade Gutierrez revelaram que esta construtora brasileira pagou subornos, sob a forma de doações legais para campanhas eleitorais de Dilma Rousseff.

Milhões de euros entregues às campanhas estariam vinculados à participação da construtora em contratos de obras públicas, entre as quais a central de Belo Monte.

Esta poderá ser uma das últimas inaugurações feitas pela Presidente Dilma Rousseff, que enfrenta um pedido de destituição do cargo no Senado.

Se o pedido for aprovado na próxima semana na câmara alta do Congresso Nacional, a Presidência será temporariamente assumida pelo vice-presidente, Michel Temer.

No local, a Presidente comentou também a decisão provisória do Supremo Tribunal Federal (STF) de afastar o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, do seu mandato como deputado federal, afirmando: "A única coisa que eu lamento, mas falo, antes tarde do que nunca, é que infelizmente ele conseguiu presidir, na cara de pau, o lamentável processo de destituição na Câmara dos Deputados".

Lusa

  • Portugueses divididos na recondução da procuradora-geral da República
    1:31
  • "Os castigos incluiam sovas frequentes e até estrangulamento"
    5:03
  • Teste ao sangue deteta oito tipos de cancro

    Mundo

    Um novo teste sanguíneo experimental permitiu detetar precocemente os oito cancros mais frequentes em 70 por cento dos casos, de acordo com um estudo publicado na revista Nature feito por investigadores nos Estados Unidos.