sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Delcídio do Amaral com mandato cassado pelo Senado

O senador brasileiro Delcídio do Amaral, eleito pelo Partido dos Trabalhadores (PT) mas atualmente sem partido, viu hoje à noite o seu mandato cassado numa votação no Senado (Câmara alta), em Brasília.

© Adriano Machado / Reuters

Do total de 76 parlamentares que estavam na sessão, 74 manifestaram-se a favor da retirada do mandato por quebra de decoro parlamentar. Nenhum parlamentar votou contra. Houve uma abstenção e o presidente do Senado, Renan Calheiros, não votou.

Amaral foi detido no ano passado após ser acusado de tentar interferir nas investigações da Operação Lava Jato.

A detenção aconteceu depois a divulgação de uma gravação em que tentava interferir na delação premiada do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, envolvido nos esquemas de corrupção da petrolífera estatal.

O ex-senador chegou a sugerir um plano de fuga para Cerveró se, em troca, ele não implicasse Amaral e outros suspeitos nos seus depoimentos.

Num acordo de delação premiada (colaboração em troca da redução da pena) firmado com o Ministério Público neste ano, Amaral afirmou que a Presidente Dilma Rousseff e o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva atuaram para tentar libertar empreiteiros presos na Lava Jato.

Delcídio também disse à Justiça que foi Lula da Silva o mandante da ordem para convencer Cerveró a omitir informações. Lula negou a acusação. A Presidente brasileira também refutou inúmeras vezes as acusações que lhe foram dirigidas por Amaral.

Com a cassação, Delcídio do Amaral perdeu o direito de se eleger a cargos públicos por oito anos.

Lusa

  • Os momentos que marcaram o 7.º dia de Mundial
    1:08
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Os momentos descontraídos dos jogadores
    1:54
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49