sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

El Salvador recusa reconhecer novo Governo do Brasil

O El Salvador anunciou hoje que recusa reconhecer o novo governo brasileiro que substituiu o presidido por Dilma Rousseff, depois de ter sido suspensa para enfrentar o processo de destituição.

© Andrew Kelly / Reuters

O presidente de El Salvador, Salvador Sanchez, afirmou no sábado em comunicado que a queda de Dilma Rousseff tinha "a aparência de um golpe de Estado".

No discurso, o Chefe de Estado deste país da América Central, explicou que tinham "analisado a situação e tomado a decisão de não reconhecer o governo interino do Brasil, porque houve manipulação política".

Sanchez afirmou que já tinham contactado o embaixador de El Salvador no Brasil e que este tinha recebido ordens para não participar em qualquer cerimónia oficial que envolvesse o governo interino que substitui Dilma e que é presidido por Michel Temer.

Michel Temer ocupava o cargo de vice-presidente do governo liderado por Dilma Rosseff, sendo um dos principais apoiantes da sua destituição.

Lusa

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem no Coachella e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.