sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Milhares de brasileiros voltam a protestar contra novo governo e Presidente

Milhares de brasileiros concentraram-se hoje em São Paulo e no Rio de Janeiro em protesto contra o processo de destituição da Presidente Dilma Rousseff, substituída interinamente por Michel Temer na chefia do Estado.

© Nacho Doce / Reuters

Convocados por diversas organizações sociais, como o Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST), a União das Juventudes Socialistas (UJS) e a Central Única de Trabalhadores (CUT), os brasileiros voltaram a demonstrar o seu descontentamento com a atual situação política do país.

No Rio de Janeiro, ao início da tarde, os manifestantes concentraram-se na Praça da Candelária, no centro da cidade.

O protesto pretendia inicialmente exigir ao presidente interino o restabelecimento do Ministério da Cultura, que foi extinto e passou a depender da pasta da Educação na sequência da reforma ministerial de Temer, que optou por reduzir o número de ministérios de 31 para 24, para cortar nas despesas públicas.

Após um coro de críticas e uma vaga de ocupação de instalações públicas por todo o país em protesto contra esta medida, o novo governo anunciou no sábado o regresso de um Ministério da Cultura, que será dirigido por Marcelo Calero.

Apesar desta medida, os manifestantes decidiram manter o protesto previsto, alterando o seu objetivo inicial pela palavra de ordem "Temer nunca mais; resistir nas ruas pelos direitos", uma forma de rejeitar a legitimidade do novo executivo.

Michel Temer é presidente interino do Brasil depois de Dilma Rousseff ter sido afastada temporariamente pelo Senado (câmara alta), no passado dia 12, por um prazo máximo de 180 dias, por suspeitas de irregularidades orçamentais, com despesas não autorizadas.

Durante este período, o Senado irá julgar Dilma Rousseff num processo presidido por um juiz do Supremo Tribunal de Justiça, mas a chefe de Estado só será afastada definitivamente se for condenada por uma maioria de dois terços dos eleitos naquele órgão.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.