sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Michel Temer garante que Governo não interferirá nas investigações sobre corrupção

O Governo brasileiro não vai interferir na condução na operação policial que investiga crimes de corrupção na Petrobras, garantiu hoje o chefe de Estado interino, durante a cerimónia de posse dos novos presidentes de bancos públicos e órgãos estatais.

© Ueslei Marcelino / Reuters

"Pela enésima vez, não haverá a menor possibilidade de qualquer interferência de ninguém na Lava Jato. A toda hora leio uma ou outra notícia que o objetivo é interferir. Não há a menor possibilidade de qualquer interferência do Executivo nesta matéria", garantiu Michel Temer.

O comentário foi uma resposta às gravações secretas feitas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, em cujos diálogos se ouvem críticas de membros do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), a formação de Temer, a esta operação policial.

A divulgação destes áudios causou já duas baixas no Governo: o ex-ministro do Planeamento, Romero Jucá e o ex-ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira.

Ambos foram gravados a criticar a Lava Jato e insinuando possíveis interferências para conter a investigação, que atualmente concentra esforços no apuramento do envolvimento de políticos nos crimes cometidos na petrolífera estatal brasileira.

Hoje de manhã o Palácio do Planalto anunciou que o advogado e ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Torquato Jardim, vai assumir o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle, sucedendo a Fabiano Silveira, que pediu demissão na passada segunda-feira.

Na cerimónia realizada hoje de manhã no Palácio do Planalto tomaram posse Maria Silvia Bastos Marques, no cargo de presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); Paulo Rogério Caffarelli, como presidente do Banco do Brasil; Gilberto Occhi, que será o novo presidente da Caixa Econômica Federal; Pedro Parente, que presidirá à Petrobras; e Ernesto Lozardo, para a direção do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Lusa

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.