sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Michel Temer diz que primeiro mês à frente do Governo "tem sido uma guerra"

O Presidente interino do Brasil, Michel Temer, diz que o primeiro mês à frente do Governo do país "tem sido uma guerra" e considera que "não tem espaço para Dilma voltar".

© Ueslei Marcelino / Reuters

"É uma guerra, tem sido uma guerra", disse Temer ao jornal Folha de São Paulo, que publicou no sábado uma entrevista com o Presidente interino do Brasil, que completa hoje um mês no cargo.

"Apesar de todas as turbulências, críticas e pressões, foi um mês de sucesso", acrescentou Michel Temer, que assumiu a liderança do Governo brasileiro quando a Presidente eleita, Dilma Rousseff, foi afastada do cargo temporariamente para ser julgada no âmbito do processo de 'impeachment' (destituição) aprovado pelo Congresso.

Michel Temer diz que este mês tem um "saldo positivo".

"Restabelecemos a interlocução com o Congresso, votamos projetos com ampla maioria e estamos retomando a confiança no país, não é pouca coisa para um começo de Governo", disse à Folha de São Paulo.

"Temos tido mais de 300 votos, às vezes mais de 340 na Câmara. Isto reflete confiança neste Governo. Nossas vitórias no Congresso mostram que não tem espaço para a Dilma voltar", acrescentou.

Michel Temer vincou que não tem feito "nenhum gesto contra ela [Dilma Rousseff]" e que respeita "quem passou".

Ainda assim, critica a herança que recebeu.

"Foi surpreendente, de forma negativa, o que encontrámos aqui. As contas muito piores do imaginávamos, a Petrobras quebrada, os Correios quebrados, a Eletrobras quebrada. E eles ainda ficam numa campanha agressiva contra mim", afirmou.

Sobre as críticas ao seu Governo, por não incluir mulheres e integrar nomes envolvidos na investigação Lavo Jato, relacionada com esquemas de corrupção, Michel Temer respondeu que criou "um time de primeira grandeza na área económica".

O Governo de Michel Temer completa um mês neste domingo e enfrenta vários casos polémicos, que já fizeram cair dois ministros, e manifestações que pedem a sua saída do cargo.

O Presidente interino trocou a equipa económica do Governo e o mercado recebeu bem essas mudanças, sobretudo pelos novos ministros da Fazenda (Finanças), Henrique Meirelles, e do Planeamento, Romero Jucá.

No entanto, o ministro do Planeamento, Romero Jucá, deixou o cargo após a divulgação de escutas em que aparece a falar em travar a Operação Lava Jato.

Outro ministro que caiu foi o da Transparência, Fabiano Silveira, após ter criticado a Operação Lava Jato em gravações feitas pelo ex-senador e ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.