sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Sondagem diz que 88% dos brasileiros desejam cortes na despesa para equilibrar economia

Uma sondagem encomendada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), divulgada hoje, mostra que 88% dos brasileiros acredita que o Governo deve cortar gastos para melhorar a economia do país.

© Adriano Machado / Reuters

Apenas 2% dos entrevistados acreditam no aumento de impostos como a melhor opção para melhorar o ambiente económico brasileiro. Os restantes 10% não souberam responder.

"A população já entendeu há muito tempo que o caminho para tirar o país da crise não é aumentar e nem criar impostos. Essa pesquisa carimba de vez que o ajuste fiscal tem que ser feito com o corte de despesas, disse Paulo Skaf, presidente da Fiesp.

Em relação à redução de gastos, a grande maioria dos entrevistados mencionou, como primeira opção, qualquer medida relacionada com cortes na despesa com os funcionários públicos.

A pesquisa também perguntou aos entrevistados se o Governo promovesse um aumento temporário de impostos, qual sua confiança deles de que este aumento não seria permanente: a resposta de 84% foi que não confiam que um aumento de impostos seja temporário.

Apenas 5% afirmaram confiar e os 11% restantes não souberam responder.

A sondagem também procurou saber se as pessoas achavam que o Governo Federal gasta atualmente mais do que arrecada e se sabiam qual era o tamanho do défice orçamental causado por esta diferença.

A maior parte (78%) declarou ter conhecimento de que o Governo Federal gasta mais do que arrecada. A parcela dos que não tinham conhecimento foi de 15%, e 7% não souberam opinar ou não responderam à questão.

O Brasil enfrenta uma grave crise económica agravada pelo défice recorrente das contas públicas, que travam investimentos para reanimar o mercado interno.

A meta fiscal do país para 2016 prevê um défice (despesas maiores do que as receitas) de até 170,5 mil milhões de reais (47 mil milhões de euros).

A pesquisa "Perceção Sobre as Contas Públicas Brasileiras" foi realizada entre os dias 2 e 13 de junho, e consultou 1.200 pessoas em todo o país.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.