sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

MP brasileiro acusa ex-ministro de corrupção e organização criminosa

© Ueslei Marcelino / Reuters

Paulo Bernardo, ex-ministro nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e da Presidente com mandato suspenso Dilma Rousseff, foi hoje acusado, com mais 19 pessoas, dos crimes de corrupção e organização criminosa no Ministério do Planeamento do Brasil.

A acusação foi feita pelo Ministério Público Federal (MPF), que alega que Paulo Bernardo é o responsável pela implantação de um esquema criminoso que defraudou a gestão de empréstimos consignados no Ministério do Planeamento, que desviou mais de 100 milhões de reais (27,4 milhões de euros), entre os anos 2010 e 2015.

O ex-ministro foi preso no passado dia 23 de junho, por suspeita de ter recebido 7,1 milhões de reais (1,9 milhões de euros) em subornos deste esquema e que envolve uma empresa chamada Consist.

A Consist administrava contratos de crédito consignado para funcionários públicos no Ministério do Planeamento, desviando 70% do valor de 1 real (27 cêntimos de euro) que era cobrado para conceder os empréstimos e enviado a uma empresa de fachada.

Paulo Bernardo foi solto no dia 29 de junho, após determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com a acusação, o ex-ministro e os outros envolvidos recebiam pagamentos ilegais a partir do contrato feito com a Consist.

Paulo Bernardo também teria tido despesas pessoais e de campanhas eleitorais pagas pelo esquema de corrupção.

Se a Justiça confirmar a acusação, Paulo Bernardo será constituído arguido e julgado.

Lusa

  • As vítimas do ataque de Londres

    Ataque em Londres

    O ataque desta quarta-feira ao Parlamento britânico em Londres fez quatro mortos, incluindo o atacante. Cerca de 40 pessoas de 11 países diferentes ficaram feridas, entre as quais 29 precisaram de ser levadas para o hospital, onde sete continuam em estado crítico.

    Ana Rute Carvalho

  • Inclusão social em Évora
    2:08

    País

    Mais de 40 empresas do distrito de Évora abriram as portas durante um dia a pessoas portadoras de deficiência. É ideia foi sublinhar a importância da  inclusão no mercado de trabalho.