sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Tribunal recusa pedido de Dilma para anular processo de impeachment

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, rejeitou terça-feira uma petição da defesa de Dilma Rousseff para anular a sessão do Senado (câmara alta parlamentar) na qual os parlamentares decidiram abrir formalmente o processo de 'impeachment' (destituição).

Segundo os advogados da Presidente com mandato suspenso, alguns dos procedimentos utilizados na sessão, realizada 10 de agosto, teriam violado os direitos de Dilma Rousseff.

Em resposta a este pedido o presidente do Supremo explicou em despacho que o tribunal não poderia interferir na questão já que a abertura do processo foi uma decisão tomada no Congresso.

Esta não foi a primeira vez que a defesa de Dilma Rousseff entrou com recursos para tentar parar o 'impeachment'. Em todas as ocasiões os pedidos foram rejeitados.

Dilma Rousseff é acusada de ter cometido crime de responsabilidade ao praticar manobras fiscais com o objetivo de melhorar as contas públicas e assinar decretos a autorizar despesas que não estavam previstas no orçamento.

O seu julgamento inicia-se quinta-feira às 09:00 locais (13:00 em Lisboa) e não existe um prazo determinado para finalizar.

Se se confirmar, o 'impeachment' de Dilma Rousseff será o primeiro da história do Brasil em que o Presidente lutou até ao fim.

Para tal, basta que 54 dos 81 senadores, que compõem a câmara alta devem considerá-la culpada.

Neste caso, o Presidente interino Michel Temer governará o Brasil até 2018, ano em que se realizarão novas eleições presidenciais.

Lusa

  • "Não vou ceder, não vou render-me, não vou desistir da candidatura"
    2:02
  • Obama, Presidente francês?
    1:55

    Mundo

    A resposta é óbvia, mas não demoveu quatro franceses, descontentes com os candidatos às Presidenciais no seu país. A ideia começou como brincadeira, mas já recolheu 43 mil assinaturas. 

  • Trump apanhado a ensaiar no carro
    1:08
  • Mulheres democratas de branco para mostrar que não abdicam dos diretos conquistados

    Mundo

    Uma "mancha branca" sobressaiu esta terça-feira no Congresso norte-americano, durante o primeiro discurso de Donald Trump. A maioria das 66 mulheres representantes e delegadas do Partido Democrata vestiram-se de branco, num ato simbólico a fazer recordar o movimento sufragista feminino, que encorajava as apoiantes a vestirem-se de branco. Tal como então, a cor da pureza foi agora recuperada, desta feita para mostrar a Trump que as mulheres não abdicam dos direitos conquistados no início do século XX.

  • Treinador do "The Biggest Loser" teve ataque cardíaco

    Mundo

    Foi o próprio Bob Harper que partilhou a notícia no seu Instagram. O ex-treinador do famoso programa de televisão sofreu um ataque cardíaco enquanto treinava no ginásio. Esteve oito dias internado mas, felizmente, já está em casa a recuperar.

  • Prisões recebem manual para lidar com fugas
    2:07

    País

    O Governo vai fazer o maior investimento de sempre nos serviços prisionais. São 2.600 milhões de euros para reforçar a segurança nas prisões. Entretanto. já foi distribuído um manual de procedimentos em caso de fuga.