sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Polícia usa bombas de gás lacrimogéneo contra manifestantes a favor de Dilma

Fernando Bizerra Jr.

Agentes da Polícia Militar usaram bombas de gás lacrimogéneo contra manifestantes contrários à destituição da Presidente suspensa, Dilma Rousseff, que protestavam segunda-feira no centro de São Paulo, no Brasil.

Luciana Venezian, de 35 anos, foi até à Avenida Paulista tentar acompanhar o protesto e disse à agência Lusa que o clima estava tenso, com muitos agentes fazendo duas linhas de barreiras para impedir os manifestantes de se movimentarem.

"Os policiais estavam soltando bombas de gás na direção dos manifestantes concentrados na frente do MASP [Museu de Arte de São Paulo]. Acho que a intenção da polícia é acabar com o protesto", relatou.

O grupo, convocado pelos movimentos Povo Sem Medo e pela Frente Brasil Popular, ocupava os dois sentidos da Avenida Paulista, a principal avenida da cidade de São Paulo, quando foi bloqueado pela polícia.

Segundo o major Teles, citado pelo portal de notícias G1, o bloqueio ocorreu porque os manifestantes não informaram o itinerário da marcha.

Imagens difundidas pela imprensa local mostram manifestantes a colocar fogo em latas de lixo e garrafas na Avenida Paulista.

Segundo o G1, ocorreram protestos contra o afastamento da Presidente com mandato suspenso em, pelo menos, nove estados - Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, São Paulo - e no Distrito Federal, onde fica a capital, Brasília.

No centro de Brasília, centenas de pessoas realizaram uma marcha ao final da tarde para apoiar a Presidente.

Da parte da manhã, manifestantes levaram rosas, que têm sido apresentadas como um símbolo da democracia e de resistência, e faixas em apoio a Dilma Rousseff para junto do Senado.

Os protestos foram convocados por movimentos sociais e sindicatos, que também criticam o governo interino, liderado por Michel Temer.

Dilma Rousseff foi esta segunda-feira ao Senado responder às perguntas dos senadores no âmbito de um processo que deverá afastá-la definitivamente da Presidência e que tem dividido a população brasileira.

Lusa

  • Dilma emociona-se perante o Senado
    1:53

    Operação Lava Jato

    Dilma Rousseff chegou ao Senado acompanhada por Lula da Silva e recebida por centenas de apoiantes. Perante a sua defesa diz que não cometeu nenhum crime e repete que está a ser alvo de perseguição por parte das elites brasileiras, que não querem perder privilégios. A presidente suspensa do Brasil emocionou-se perante o Senado ao referir os Jogos Olímpicos como exemplo de capacidade empreendedora. O futuro de Dilma deve ser conhecido já nesta terça-feira.

  • "Viola-se a democracia e pune-se uma inocente"
    2:16

    Operação Lava Jato

    Dilma Rousseff apresentou esta segunda-feira a própria defesa perante o senado brasileiro, no âmbito do processo de destituição. A Presidente, com mandato suspenso, apela a que se faça justiça em nome da democracia. Dilma diz que se está a violar a demoracia e a punir uma inocente.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59