sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Michel Temer promete "nova era" no Brasil e acusa opositores de "golpistas"

Michel Temer, empossado no cargo de Presidente do Brasil na sequência da destituição de Dilma Rousseff da Presidência, prometeu uma "nova era" e acusou os seus opositores de "golpistas".

"Hoje nós inauguramos uma nova era de dois anos e quatro meses", disse Michel Temer aos seus ministros na primeira reunião ministerial do Governo após a aprovação do impeachment (destituição) da ex-Presidente Dilma Rousseff no Senado.

O Presidente, que comandava o país interinamente desde 12 de maio, referiu que a partir de agora a cobrança sobre o Governo será "muito maior", e rejeitou a acusação de que o impeachment foi um golpe.

"Golpista é você, que está contra a Constituição (...) Não vamos levar desaforo para casa", referiu, em resposta aos aliados de Dilma Rousseff que têm vindo a acusá-lo de "golpista" e de traição para chegar ao poder, devolvendo o epíteto.

"No plano internacional tentaram muito e conseguiram dizer que no Brasil houve golpe", acrescentou, frisando que essa informação não pode ser tolerada.

O Presidente explicou que, durante o longo processo de impeachment, que durou nove meses, não respondeu às acusações, optando por uma "discrição absoluta", mas que, agora, que "as coisas se definiram", é preciso atuar com "muita firmeza".

Antes de viajar hoje à noite para a China, para participar num encontro do G20, com as maiores economias do mundo, Michel Temer adiantou que será uma oportunidade para anunciar a "novidade brasileira" e atrair investimentos.

"A partir de hoje, divulguem que nós estamos viajando exata e precisamente para revelar aos olhos do mundo que temos estabilidade politica e segurança jurídica", garantiu.

O governante pediu também aos ministros a desburocratização de medidas e que participem em reuniões com os parlamentares dos seus partidos para falar sobre a importância das medidas que o Governo quer aprovar.

"Nós temos essa margem enorme de desempregados. Os quase 12 milhões é uma cifra assustadora", alertou, vincando o seu empenho para gerar empregos no país.

O chefe de Estado elogiou ainda a postura dos ministros durante o governo interino e disse esperar que o seu Executivo chegue a 2018, altura das eleições presidenciais, com o Brasil nos trilhos, para obter "o aplauso do povo brasileiro".

Dilma Rousseff, acusada de irregularidades parlamentares, perdeu hoje o mandato presidencial depois de uma votação no Senado (câmara alta parlamentar) em Brasília, em que dos 81 senadores brasileiros presentes, 61 votaram pela sua destituição e apenas 20 a apoiaram.

Lusa

  • Quem é Michel Temer
    2:28

    Operação Lava Jato

    Tem 75 anos e é o homem mais velho a assumir a Presidência do Brasil. Aceitou o primeiro cargo público em 1964, na secretaria da educação do governo estadual de Adhemar de Barros. Em 1997 foi eleito pela primeira vez Presidente da Câmara dos deputados. Tornou-se o número dois de Dilma em 2010 e manteve-se sempre na sombra até maio deste ano.

  • Dilma oficialmente afastada do poder
    3:06

    Operação Lava Jato

    Dilma Rousseff foi condenada por crimes de responsabilidade e perdeu o mandato. A Presidente afastada há quatro meses do poder foi considerada culpada por 61 dos 81 senadores que votaram o impeachment. Dilma já disse que sofreu um segundo golpe de Estado.

  • Alemães protestam contra a Extrema-Direita
    0:39
  • Incêndio urbano em Coimbra deixa cinco pessoas desalojadas

    País

    Um incêndio numa habitação na cidade de Coimbra deixou este domingo cinco pessoas desalojadas, disse à agência Lusa fonte dos Bombeiros Sapadores. Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra adiantou que o fogo destruiu uma parte substancial de um edifício de três andares em frente à sede da Associação Académica de Coimbra, na rua Padre António Vieira.