sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

PR da Bolívia ameaça retirar embaixador no Brasil se destituição de Dilma for aprovada

© Handout . / Reuters

O Presidente da Bolívia, Evo Morales, disse que vai retirar o embaixador do seu país do Brasil se o processo de destituição da Presidente com mandato suspenso Dilma Rousseff for aprovado hoje pelo Senado (câmara alta parlamentar).

"Se o golpe parlamentar contra o governo democrático de Dilma Rousseff prosperar, a Bolívia vai convocar seu embaixador. Defendemos a democracia e a paz", escreveu Morales na sua conta na rede social Twitter.

Na mesma rede social, Evo Morales frisou que "o único juiz que pode punir a conduta política de Dilma Rousseff é o seu povo", frisando, ainda, que a luta da líder brasileira seria "a mesma luta travada por nossos povos da América Latina e do mundo contra o poder económico".

O Presidente boliviano classificou o processo de impeachment (destituição) como "injusto" e alegou que o processo foi um plano destinado a conter a rebelião do povo em favor dos pobres, negros e das mulheres no poder.

Evo Morales é Presidente da Bolívia desde 2006 e desde que ascendeu ao cargo tem-se mostrado um aliado de Dilma Rousseff e do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A última sessão do julgamento de Dilma Rousseff já está a decorrer em Brasília, mas a votação que definirá o resultado do processo de impeachment ainda não se realizou.

Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.