sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Dilma vai deixar Brasília e viver em Porto Alegre

A Presidente deposta do Brasil Dilma Rousseff afirmou esta sexta-feira que vai deixar Brasília nos próximos dias e voltar a viver em Porto Alegre, sul do país, onde construiu a sua carreira política e tem a sua casa.

"Não vou ficar em Brasília, vou para Porto Alegre", afirmou Dilma Rousseff, 68 anos, num encontro com a imprensa estrangeira.

Depois de seis anos no cargo, Dilma Rousseff foi deposta quarta-feira pelo Senado por alegada falsificação das contas públicas.

"A democracia foi julgada ao mesmo tempo que eu. Infelizmente perdemos. Espero que a possamos reconstruir e que isto não volte a acontecer", afirmou Dilma Rousseff, que continua a afirmar a sua inocência e denunciou um "golpe de Estado" parlamentar feito pela oposição da direita.

Dilma Rousseff foi destituída do cargo, mas manteve os seus direitos políticos o que permite que se candidate ao cargo de deputada ou senadora.

Depois da sua destituição, Dilma Rousseff tem 30 dias para deixar o Palácio da Alvorada.

Lusa

  • Dilma já formalizou recurso para reverter a destituição

    Crise no Brasil

    Dilma Roussef já formalizou o recurso para reverter a destituição do cargo de Presidente. Os advogados de defesa apresentaram esta quinta-feira o recurso no Supremo Tribunal Federal. Dilma solicita assim um novo julgamento e que seja anulada a sentença de impeachment ditada pela votação de mais de dois terços dos senadores esta quarta-feira.

  • Aviação russa matou mais de 11 mil pessoas na Síria

    Mundo

    Pelo menos 11.612 pessoas morreram na Síria em resultado dos bombardeamentos da aviação russa, aliada do Governo de Damasco, iniciados em 30 de setembro de 2015, de acordo com dados publicados hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

  • Mais de 500 casos de sarampo na Europa este ano, avisa OMS

    Mundo

    Mais de 500 casos de sarampo foram reportados só este ano na Europa, afetando pelo menos sete países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em Portugal, a OMS reconheceu oficialmente a eliminação do vírus do sarampo no verão do ano passado.