sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Brasil assinala independência com dezenas de protestos contra Michel Temer

Milhares de pessoas saíram na quarta-feira, dia em que o Brasil comemorou a sua independência, às ruas em dezenas de cidades brasileiras para protestar contra o executivo do Presidente Michel Temer e pedir eleições diretas.

Ocorreram protestos em, pelo menos, 46 cidades ao longo do dia, segundo o portal de notícias G1.

A mesma fonte avançou, ao início da noite, que, de acordo com os organizadores, os protestos reuniram 191 mil pessoas.

Dados da polícia compilados pelo mesmo portal dão conta de 4.000 pessoas, embora não tenham sido contabilizados manifestantes em vários locais, como diversos pontos de São Paulo.

O dia ficou marcado por diversos desfiles comemorativos do feriado nacional e protestos convocados por movimentos sociais e sindicatos, alguns enquadrados no tradicional Grito dos Excluídos.

O ato, que acontece há 22 anos nesta data, envolvendo movimentos sociais e até pastorais católicas, foi usado este ano sobretudo para protestar contra o governo de Michel Temer.

Só em Salvador, de acordo com o G1, os organizadores contabilizaram 100 mil manifestantes, num protesto em que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e os movimentos Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo se uniram ao Grito dos Excluídos.

Em Brasília, onde o Presidente Michel Temer foi vaiado e aplaudido durante o desfile militar em que participou para assinalar a data comemorativa, houve dois detidos, um por atacar um jornalista e um menor por se encontrar na posse de drogas.

No Rio de Janeiro, segundo o G1, um manifestante vestido de Homem Aranha foi detido após ter respondido a provocações de estudantes e agredido um deles com um brinquedo de borracha.

Na cidade maravilhosa, durante um desfile para assinalar a data, um pequeno grupo pediu a intervenção militar e outro gritou pela implantação de um regime monárquico parlamentarista, escreve o diário O Globo.

Houve mesmo quem carregasse placas onde se podia ler "Coronel Ustra vive", em referência a Carlos Brilhante Ustra, torturador durante a ditadura militar, e palavras em defesa do deputado federal Jair Bolsonaro - que gerou polémica ao homenagear o torturador quando votou pelo afastamento de Dilma Rousseff - para Presidente.

Milhares reuniram-se em vários protestos em São Paulo, com alguns segurando bandeiras onde se podia ler "Fora, Temer" e "Nenhum Direito a Menos".

Em frente à Catedral da Sé, dezenas seguraram placas com pedidos de saúde, paz e fé e fizeram orações, segundo o jornal O Globo. O grupo também chamou a atenção para a realidade dos moradores de rua e dos refugiados.

No Paraná, o desfile do Dia da Independência do Brasil teve de ser interrompido devido à invasão de manifestantes.

Entre as várias manifestações, onde se ouviram diferentes argumentos e pedidos, também houve quem defendesse a ex-Presidente Dilma Rousseff, afastada na semana passada do cargo, e quem protestasse contra o seu movimento de apoio, o Partido dos Trabalhadores (PT).

O Brasil tem sido palco de vários protestos nos últimos meses devido ao longo e polémico processo de destituição de Dilma Rousseff, que dividiu a população.

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.