sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Juiz do Supremo brasileiro nega anular aprovação da destituição de Dilma

O magistrado Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou esta quinta-feira um recurso da defesa de Dilma Rousseff para anular a sessão da votação do Senado (câmara alta do Congresso) que determinou a destituição da ex-Presidente do Brasil.

A decisão surgiu em resposta a uma providência cautelar, com pedido de uma decisão provisória, apresentado pelo advogado da ex-chefe de Estado, José Eduardo Cardozo, a 1 de setembro, um dia depois de os senadores terem decidido afastar a primeira mulher Presidente do Brasil do cargo.

O advogado alertou para a inconstitucionalidade de dois artigos da Lei de Impeachment (destituição) e a inclusão no parecer favorável ao afastamento de acusações que não constavam no relatório votado anteriormente na Câmara dos Deputados, considerando que isso teria prejudicado a defesa.

Na sua decisão, Teori Zavascki escreveu que, "mesmo que se pudesse atribuir relevância ao argumento de inconstitucionalidade" dos artigos, "isso não seria suficiente para determinar a concessão da cautelar", uma vez que a condenação "está amparada na configuração de outros delitos".

O juiz considerou que o acrescento no parecer não prejudicou a defesa, tendo sido feito apenas para demonstrar que os atosactos pelos quais Dilma Rousseff foi condenada, ocorridos em 2015, representaram o "clímax negativo" de práticas questionáveis desde 2008.

Dilma Rousseff foi condenada por ter assinado três decretos de créditos suplementares em 2015 sem autorização do Congresso e por ter usado dinheiro de bancos públicos em programas do Tesouro, realizando manobras contabilísticas.

O juiz escreveu ainda que a defesa "teve iterativas oportunidades para contradizer as teses da acusação".

Após um longo e polémico processo de cerca de nove meses, Dilma Rousseff foi afastada do cargo a 31 de agosto e, como consequência, Michel Temer, o seu ex-vice-Presidente, assumiu a liderança do Brasil.

Nesse dia, em resposta à Lusa sobre se tenciona recorrer a instâncias internacionais num processo que a defesa tem apelidado de "golpe", José Eduardo Cardozo respondeu que primeiro ia aos tribunais brasileiros, nos quais disse confiar.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Défice recua em 2016 na zona euro e na UE

    Economia

    O défice e a dívida baixaram na zona euro e na União Europeia (UE) em 2016 face a 2015, tendo Portugal registado a terceira maior dívida (130,4%) entre os Estados-membros e um défice de 2%, segundo o Eurostat.

  • Incêndio na Amadora deixa 12 pessoas desalojadas
    1:59

    País

    Um incêndio destruiu este domingo a cobertura de um prédio de habitação na Buraca, no concelho da Amadora. Doze pessoas ficaram desalojadas, mas ninguém ficou ferido. Os bombeiros dominaram o fogo em cerca de uma hora, os moradores queixam-se da falta de eficácia no combate às chamas.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa