sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Corrupção no Brasil: as principais fases da Operação Lava Jato

© Nacho Doce / Reuters

A Operação Lava Jato, iniciada em março de 2014 pela Polícia Federal (PF) brasileira, investiga um esquema de corrupção, branqueamento de capitais e desvio de dinheiro envolvendo a companhia estatal brasileira Petrobras.

Esta quarta-feira, o Ministério Público Federal (MPF) acusou o ex-Presidente, a sua mulher, Marisa Letícia, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, e outras quatro pessoas ligadas à mesma empreiteira, por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Os principais envolvidos no mega-esquema de corrupção da Petrobras são funcionários da companhia estatal, empresários e políticos.

De acordo com dados oficiais, até ao momento, houve 106 condenações, contabilizando 1148 anos, 11 meses e 11 dias de pena.

O valor total do ressarcimento pedido pelos crimes cometidos, incluindo multas, é de 38,1 mil milhões de reais (10,1 mil milhões de euros).

Segundo dados da equipa de investigação de procuradores que atua na Lava Jato, os desvios na Petrobras envolvem cerca de 6,4 mil milhões de reais (1,7 mil milhões de euros).

Até agora, houve 70 acordos de delação premiada (prestação de informações em troca de possível redução de pensa) e seis acordos de leniência, de colaboração com empresas investigadas.

Entre as empresas já implicadas no caso estão grandes empreiteiras, como a Camargo Corrêa, OAS, Queiroz Galvão e Odebrecht.

A primeira fase internacional da Lava Jato decorreu em Portugal em março, quando Raul Schmidt, sócio de um antigo diretor da Petrobras, foi detido em Lisboa. Até agora, as investigações já envolveram 112 pedidos de colaboração internacional.

No início de setembro, o Conselho Superior do Ministério Público Federal decidiu prorrogar a investigação por mais um ano.

Cronologia da Operação Lava Jato:

1.ª fase

17/03/2014

Operação é iniciada a pela Polícia Federal. Dezassete pessoas são presas, incluindo Alberto Youssef, doleiro (pessoa que faz de forma ilegal o câmbio de dinheiro) suspeito de comandar o esquema.

2.ª fase

20/03/2014

Paulo Roberto Costa, ex- diretor de abastecimento da Petrobras de 2004 a 2012, é preso sob suspeita de destruir e ocultar documentos do suposto esquema de corrupção na estatal brasileira.

3.ª fase

23/04/2014

Após receber relatórios das investigações da Lava Jato, a Justiça aceita a denúncia contra Alberto Youssef e seis investigados na operação.

4.ª fase

11/06/2014

Paulo Roberto Costa, depois de libertado, volta a ser preso pela Polícia Federal.

5.ª fase

03/07/2014

O juiz Sérgio Moro envia ao STF indícios da suposta relação de Youssef com o ex-Presidente e atual senador Fernando Collor (Partido Trabalhista Brasileiro/PTB).

6.ª fase

06/09/2014

De acordo com a imprensa brasileira, após fechar um acordo de ?delação premiada' (testemunho em troca de redução da pena), Paulo Roberto Costa revelou que três governadores, seis senadores, um ministro e pelo menos 25 deputados federais foram beneficiados com pagamentos de suborno.

24/09/2014

O Ministério Público Federal e Alberto Youssef assinam o acordo de ?delação premiada'.

7.ª fase Operação Juízo final

14/11/2014

A PF cumpre mandados de prisão, busca e apreensão em vários estados, em empresas como Camargo Corrêa, OAS, Queiroz Galvão e Odebrecht. Entre os detidos está o ex-diretor da Petrobras Renato Duque.

8.ª fase

14/01/2015

Ex-diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cerveró é preso pela Polícia Federal sob a acusação de corrupção e branqueamento de capitais.

9.ª fase - Operação My Way

05/02/2015

O ex-gerente de Serviços da Petrobras Pedro Barusco estima que o PT recebeu de propina em contratos da estatal uma quantia entre 150 milhões e 200 milhões de dólares (135,5 e 180 milhões de euros).

10.ª fase - Operação Que país é esse?

16/03/2015

São presos o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, o empresário paulista Adir Assad e Lucélio Góes.

27/03/2015

A PF prende Dario Queiroz Galvão Filho, sócio da Galvão Engenharia, e Guilherme Esteves de Jesus.

11.ª fase - Operação A origem

10/04/2015

O ex-deputado André Vargas (PT) é preso. Outras pessoas, como o ex-deputado federal Luiz Argôlo, também foram detidas.

12.ª fase

15/04/2015

O tesoureiro do PT João Vaccari Neto é preso sob a suspeita de receber dinheiro de suborno de contratos da Petrobras.

22/04/2015

A Justiça condena os primeiros réus da Operação Lava Jato. São oito condenados, entre os quais estão Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef.

13.ª fase

26/05/2015

O ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró é condenado a cinco anos de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro.

14.ª fase - Operação Erga Omnes

19/06/2015

A PF prende os presidentes das empresas Odebrecht e Andrade Gutierrez, Marcelo Odebrecht e Otávio Marques de Azevedo, respetivamente, e outros executivos das construtoras.

15.ª fase - Operação Conexão Mónaco

02/07/2015

É preso o ex-diretor da área internacional da Petrobras Jorge Zelada. Autoridades do Principado de Mónaco bloquearam 10 milhões de euros do ex-diretor.

14/07/2015

Na Operação Politeia, um desdobramento da Lava Jato, a PF cumpre mandados de busca e apreensão na casa de seis políticos: Fernando Collor, Ciro Nogueira, Eduardo da Fonte, Mário Negromonte, Fernando Bezerra Coelho e João Pizzolati.

19/07/2015

Nove pessoas são indiciadas pela PF no inquérito da 14ª fase da Lava Jato relacionado à construtora Andrade Gutierrez. Entre elas, está o presidente da construtora, Otávio Marques de Azevedo.

20/07/2015

Três executivos da Camargo Corrêa são condenados por lavagem de dinheiro, corrupção e organização criminosa. No mesmo dia, a PF indicia o presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e outras sete pessoas envolvidas com a construtora.

16.ª fase - Operação Radioatividade

28/07/2015

A PF prende o diretor-presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva.

17.ª fase - Operação Pixuleco

03/08/2015

O ex-ministro José Dirceu, o seu irmão e outras seis pessoas são presas. O ex-ministro é suspeito de praticar crimes como corrupção, branqueamento de capitais e associação criminosa.

18.ª fase - Operação Pixuleco 2

17/08/2015

A Justiça condena o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, o ?lobista' Fernando Baiano e Júlio Camargo, ex-consultor da Toyo Setal, por corrupção e branqueamento de capitais.

20/08/2015

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresenta denúncia contra o presidente da câmara dos deputados, Eduardo Cunha (PMDB), por suposto envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras. O senador Fernando Collor de Mello também é denunciado.

11/09/2015

A Polícia Federal pede autorização ao Supremo Tribunal Federal para tomar depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, suspeito de ter-se beneficiado de esquema de corrupção.

15/09/2015

O ex-ministro José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e outras 13 pessoas são acuados por corrupção e outros crimes.

19.ª fase - Operação Nessum Dorma

21/09/2015

A Justiça condena o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o ex-diretor da Petrobras Renato Duque e outras oito pessoas por crimes como corrupção e branqueamento de capitais.

22/09/2015

A Justiça condena o ex-deputado federal André Vargas, o seu irmão Leon Vargas e o publicitário Ricardo Hoffmann. Com a sentença, André Vargas, que foi vice-presidente da Câmara, é o primeiro político a ser condenado num processo da ?Lava Jato'.

29/10/2015

O ex-deputado Pedro Corrêa é condenado pela Justiça Federal do Paraná pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro a 20 anos e 7 meses de prisão.

20.ª fase - Operação Corrosão

16/11/2015

A Justiça Federal no Paraná condenou o ex-deputado federal Luiz Argôlo por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Argôlo foi o terceiro político a ser condenado, após as condenações de André Vargas e Pedro Corrêa.

21.ª fase - Operação Passe Livre

24/11/2015

A PF prende o pecuarista José Carlos Bumlai.

25/11/2015

O senador Delcídio do Amaral (PT), líder do governo no Senado, é preso pela PF por tentar atrapalhar as investigações da ?Lava Jato'. Também são presos o banqueiro André Esteves, do banco BTG Pactual, o chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira, e o advogado Édson Ribeiro, que defendeu Nestor Cerveró.

22.ª fase - Operação Catilinárias

15/12/2015

A Polícia Federal cumpre mandados na casa do presidente da câmara dos deputados, Eduardo Cunha. Também são alvos da operação os senadores Edison Lobão, ex-ministro de Minas e Energia, e Fernando Bezerra Coelho, e outros políticos.

23.ª fase - Operação Acarajé

22/02/2016

A operação tem como alvo o publicitário baiano João Santana, responsável das campanhas da Presidente Dilma Rousseff e da campanha da reeleição do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006. Foi decretada a prisão temporária dele e da sua mulher, permanecendo ainda presos.

03/03/2016

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) assinou o acordo de ?delação premiada' em que diz que Lula da Silva e Dilma agiram para travar a Lava Jato.

24.ª fase - Operação Aletheia

04/03/2016

As autoridades investigam a relação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus familiares com construtoras envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras. Lula da Silva é alvo de um mandado e foi detido para prestar esclarecimentos, tendo sido libertado cerca de três horas depois.

08/03/2016

A Justiça Federal condena o empresário Marcelo Odebrecht por corrupção ativa, branqueamento de capitais e associação criminosa, a 19 anos a e quatro meses de prisão. Além dele, também são condenados outros executivos e funcionários da Petrobras.

10/03/2016

Promotores do Estado de São Paulo pediram a prisão preventiva do ex-Presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva relacionada com a denúncia que apresentaram sobre crimes cometidos na aquisição de um apartamento tríplex no Guarujá.

13/03/2016

Pelo menos 3,6 milhões de pessoas protestaram nas ruas de todo o Brasil, no domingo, pedindo a saída da Presidente Dilma Rousseff do Governo, segundo dados da polícia militar.

14/03/2016

A Justiça de São Paulo encaminhou a denúncia do Ministério Público do estado contra o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a Justiça Federal de Curitiba, mais precisamente para as mãos do juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato.

17/03/2016

Ex-Presidente Lula da Silva tomou posse, em Brasília, como ministro da Casa Civil, entre protestos pró e contra o Governo um pouco por todo o país. Logo a seguir, uma decisão judicial suspende nomeação de Lula da Silva e o Governo anuncia que vai recorrer.

25.ª fase - Operação Polimento

21/03/2016

A polícia judiciária portuguesa cumpriu a 25ª fase da Operação Lava Jato, em Lisboa.

O operador financeiro Raul Schmidt Felippe Junior, que estava foragido desde julho de 2015, foi preso preventivamente. Esta foi a primeira operação internacional realizada pela Lava Jato e foi batizada pelas autoridades portuguesas de 'Polimento'.

26.ª fase - Operação Xepa

22/03/2016

A investigação detectou o pagamento de subornos relacionados com a construção da Arena Corinthians, palco da abertura do campeonato do mundo de futebol de 2014.

O vice-presidente do Corinthians, André Luiz de Oliveira, suspeito de ter recebido dinheiro da construtora Odebrecht, foi levado para prestar declarações.

23/03/2016

A Polícia Federal indiciou o publicitário do PT João Santana, a mulher dele, Monica Moura, e outros seis investigados por alegados crimes de lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa através de depósitos no exterior não declarados.

29/03/2016

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela investigação Lava Jato, admitiu que se equivocou ao autorizar a divulgação de escutas telefónicas entre a Presidente Dilma Rousseff e o seu antecessor, Lula da Silva.

Nos áudios divulgados, Dilma Rousseff diz a Lula da Silva que mandou alguém entregar o termo de posse do ex-Presidente como ministro da Casa Civil, para o caso de ser necessário.

As declarações foram interpretadas como um possível combinação para garantir a imunidade de Lula da Silva, mas a Presidente esclareceu que falavam na assinatura do seu antecessor para a tomada de posse, quando ainda não era certa a presença de Lula no evento.

27.ª fase - Operação Carbono 14

01/04/2016

A operação investigou um esquema de branqueamento de capitais a partir do Banco Schahin, que pode ter beneficiado o Partido dos Trabalhadores (PT).

A polícia cumpriu mandados de prisões temporárias, ordens de busca e apreensão e conduções coercivas (levar para depoimento) para investigar crimes de extorsão, falsidade ideológica, fraude, corrupção ativa e passiva e branqueamento de dinheiro.

Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, foi um dos alvos de condução coerciva.

28.ª fase - Operação Vitória de Pirro

12/04/2016

A operação envolveu mandados de prisão para três pessoas, incluindo o antigo senador Gim Argello, 14 autorizações de busca e apreensão e cinco mandados de condução coercitiva.

O nome de Gim Argello apareceu na denúncia do senador Delcídio do Amaral, que acusou o antigo parlamentar de cobrar dinheiro a empreiteiros investigados para que não fossem chamados a depor numa comissão parlamentar de inquérito.

28/04/2016

O Ministério Público Federal apresentou denúncias de corrupção e branqueamento de capitais contra Marcelo Odebrecht, herdeiro do maior grupo empreiteiro do Brasil, e o publicitário de campanhas do Partido dos Trabalhadores (PT) João Santana.

05/05/2016

O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou, por unanimidade, a suspensão do mandato do presidente da Câmara dos Deputados (câmara baixa), Eduardo Cunha.

O parlamentar é acusado de usar o seu cargo para obter vantagens em benefício próprio pela Procuradoria-Geral da União num processo enviado ao STF em dezembro.

18/05/2016

A Justiça condenou o ex-ministro do PT José Dirceu a 23 anos e três meses de prisão por crimes como corrupção e branqueamento de capitais no âmbito da Operação Lava Jato.

29.ª fase - Operação Repescagem

23/05/2016

As autoridades cumpriram seis mandados de busca e apreensão, um de prisão preventiva contra João Cláudio Genu e dois de prisão temporária.

Recaíram sob João Cláudio Genu, que foi tesoureiro do Partido Progressista (PP), suspeitas de distribuição de dinheiro oriundo do esquema de corrupção na Petrobras a políticos do PP.

30.ª fase - Operação Vício

24/05/2016

Esta fase incidiu sobre suspeitas de que contratos firmados pela Petrobras com duas fornecedoras de tubos podem ter sido usados para o desvio de, pelo menos, 40 milhões de reais (10,6 milhões de euros) para o pagamento de subornos entre 2009 e 2013.

As autoridades consideraram existirem fortes indícios da participação na fraude de José Dirceu, que foi ministro da Casa Civil e o "homem forte" durante o primeiro governo do ex-Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, e do ex-diretor de Engenharia da Petrobras, Renato Duque.

Foram também emitidos dois mandados de prisão preventiva contra donos da empresa Credencial, nove mandados de testemunho coercivo e 16 mandados de busca e apreensão.

O Presidente interino do Brasil, Michel Temer, demitiu o ministro do Planeamento, Romero Jucá, um dia depois de este ter pedido para suspender funções até que o Ministério Público Federal se manifestasse sobre os áudios em que aparece a falar da operação Lava Jato.

Nos áudios, ele aparece a dizer que uma "mudança" no governo - que aconteceu na sequência da aprovação do pedido de afastamento da Presidente Dilma Rousseff - resultaria num pacto para "estancar a sangria" representada pela Operação Lava Jato.

30/05/2016

O ministro da Transparência, Fiscalização e Controle do Brasil, Fabiano Silveira, que apareceu a criticar a Operação Lava Jato em escutas telefónicas, pediu a demissão.

14/06/2016

O juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro Teori Zavascki negou o pedido de prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros, do ex-Presidente da República José Sarney e do ex-ministro do Planeamento Romero Jucá.

A decisão surgiu em resposta a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que apontou tentativas de obstrução da Operação Lava Jato, com base em base áudios secretos gravados pelo ex-presidente da Transpetro (subsidiária da Petrobras), Sérgio Machado.

16/06/2016

O ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, pediu a demissão, um dia após terem sido divulgadas declarações do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, onde este acusa o governante de ter recebido subornos.

23/06/2016

Paulo Bernardo, ex-ministro dos governos de Lula da Silva e de Dilma Rousseff, é preso na Operação Custo Brasil, um desdobramento da Lava Jato.

A operação apura o pagamento de subornos, provenientes de contratos de prestação de serviços de informática, no valor de 100 milhões de reais (26,6 milhões de euros) entre 2010 e 2015.

01/07/2016

A Polícia Federal prendeu preventivamente o corretor Lúcio Bolonha Funaro, aliado do Presidente da Câmara dos Deputados afastado, Eduardo Cunha, num desdobramento da Lava Jato apelidado de Sépsis.

A operação também teve como alvo a empresa JBS, sob suspeita de que tenha pago subornos, através de Lúcio Bolonha Funaro, para obter recursos do fundo de investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), da estatal Caixa Económica Federal.

31.ª fase - Operação Abismo

04/07/2016

A Polícia Federal investiga crimes no contrato celebrado pelo Consórcio Novo Cenpes para a construção do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), no Rio de Janeiro.

06/07/2016

O ex-presidente da Eletronuclear Othon Luiz Pinheiro da Silva foi preso durante a Operação Pripyat, que investiga irregularidades na companhia.

32.ª fase - Operação Caça-fantasmas

07/07/2016

A ação investiga infrações contra o sistema financeiro brasileiro e ações de branqueamento de capitais praticadas pelo FPB Bank, do Panamá.

Nesse âmbito, foram realizadas 16 ordens judiciais, das quais sete conduções coercivas e nove mandados de busca e apreensão.

O FPB Bank atuaria sem autorização do Banco Central brasileiro com o objetivo de abrir e movimentar contas para enviar dinheiro de origem duvidosa para o exterior.

21/07/2016

O publicitário João Santana e a mulher, Mônica Moura, admitiram, perante o juiz que investiga a Operação Lava Jato, terem recebido dinheiro não declarado da campanha de Dilma Rousseff em 2010.

22/07/2016

Dilma Rousseff disse que não autorizou pagamentos de dinheiro não declarado a publicitários durante a sua campanha. "Se houve pagamento de 'caixa 2' [não declarado] para alguém, não tenho conhecimento", sublinhou.

28/07/2016

Luiz Inácio Lula da Silva enviou ao Comité de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) uma petição para tentar travar ações que considerou como "abuso de poder" do juiz Sérgio Moro.

A petição lista aquilo que a defesa vê como diversas violações ao Pacto de Direitos Políticos e Civis adotado pela ONU.

29/07/2016

A Justiça Federal de Brasília constituiu o ex-Presidente Lula da Silva e outras seis pessoas arguidas por alegadas tentativas de obstrução à justiça na Operação Lava Jato.

Em causa está uma alegada tentativa de impedir o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró de assinar um acordo de delação premiada (prestação de informações em troca de eventual redução de pena).

A medida inclui outras seis pessoas igualmente constituídas arguidas, designadamente o ex-senador Delcídio do Amaral, o ex-chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira, o banqueiro André Esteves, o advogado Edson Ribeiro, o ganadeiro José Carlos Bumlai e o filho deste, Maurício Bumlai.

33.ª fase - Operação Resta Um

02/08/2016

Esta fase da operação mirou a construtora Queiroz Galvão, suspeita de defraudar licitações da petrolífera e pagar subornos para evitar investigações parlamentares.

Foram expedidos 23 mandados de busca, dois de prisão preventiva, um de prisão temporária e seis de condução coercitiva.

Entre os executivos detidos estão o ex-presidente da Queiroz Galvão Ildefonso Colares Filho e o ex-diretor Othon Zanoide de Moraes Filho.

04/08/2016

O ex-presidente da estatal Eletronuclear Othon Luiz Pereira da Silva foi condenado a 43 anos de prisão, a pena mais pesada no âmbito da Operação Lava Jato, pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, embaraço às investigações, evasão de divisas e participação em organização criminosa.

O ex-presidente da Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras, recebia 1% de suborno nos contratos assinados entre a estatal e as empreiteiras Andrade Gutierrez e Engevix, para a construção da central nuclear Angra 3, no complexo nuclear de Angra dos Reis.

07/08/2016

A revista Veja avançou que o Presidente Michel Temer pediu, em 2014, apoio financeiro ao magnata da construção Marcelo Odebrecht, preso pelo seu envolvimento no caso Lava Jato, tendo recebido quase três milhões de euros.

A revista brasileira cita parte do acordo judicial que Marcelo Odebrecht está a negociar com o Ministério Público.

10/08/2016

O empresário Samir Assad foi preso na Operação Irmandade, lançada para investigar membros de uma organização criminosa que seria responsável pelo desvio de dinheiro público em obras da empresa do setor de energia Eletronuclear.

A ação é uma continuação da operação Pripyat, um desdobramento das investigações de corrupção na petrolífera estatal brasileira Petrobras.

Ao todo, a justiça brasileira acusou mais 11 pessoas por crimes de branqueamento de capitais, formação de organização criminosa e falsidade ideológica.

16/08/2016

A imprensa brasileira avançou que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu abrir um inquérito para investigar Dilma Rousseff, na altura Presidente com mandato suspenso, e o ex-Presidente Lula da Silva por alegadas tentativas de obstrução à Justiça, num processo que se encontra sob sigilo.

A decisão também inclui os ex-ministros de Dilma Rousseff José Eduardo Cardozo e Aloizio Mercadante, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Francisco Falcão, o magistrado do STJ Marcelo Navarro Ribeiro Dantas e o ex-senador Delcídio do Amaral.

A abertura do inquérito tinha sido pedida pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, para quem a nomeação de Lula da Silva para ministro da Casa Civil teve como objectivo perturbar as investigações da Operação Lava Jato, dado que enquanto governante o ex-Presidente não poderia ser julgado pelo juiz Sérgio Moro, que coordena a Lava Jato, mas apenas pelo STF.

14/09/2016

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a sua mulher, Marisa Letícia, Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e outras quatro pessoas ligadas à mesma empresa de construção civil pelos crimes de corrupção activa e passiva e lavagem de dinheiro.

Lula da Silva é acusado de ter sido beneficiado com obras no imóvel, feita pela construtora.

Segundo o MPF, a reforma foi oferecida pela empresa como compensação por ações do ex-Presidente no esquema de corrupção da Petrobras.

O procurador Deltan Dallagnol, que coordena a força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, disse que o ex-Presidente era o "grande general" do esquema criminoso descoberto pelas autoridades na Lava Jato.

A defesa negou as acusações e apontou um ataque ao Estado democrático, enquanto o presidente do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, falou em perseguição e numa tentativa de interditar a carreira política de Lula da Silva, que poderá candidatar-se nas presidenciais de 2018.

O magistrado Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu arquivar o pedido de prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados do Brasil Eduardo Cunha, que perdeu o mandato na segunda-feira.

O pedido tinha sido apresentado pelo Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, alertando que, mesmo afastado do cargo, Eduardo Cunha poderia continuar a usar o seu mandato e poder político com o fim de intervir nas investigações da Operação Lava Jato.

Com a perda do mandato, o magistrado considerou que o pedido perdeu interesse.

Eduardo Cunha responde na Lava Jato por ter supostamente recebido subornos num contrato de exploração de petróleo em Benin, em África, e em contratos de navios-sonda da Petrobras.

Lusa

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes. Os passageiros desembarcaram, como registou no Twitter um jornalista da Al-Jazzera que seguia a bordo. Segundo este depoimento, uma pessoa foi levada para o hospital com problemas cardíacos.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.